Contribuição negocial é fundamental para garantir direitos da categoria

13


O acordo aprovado pelos bancários em assembleias dia 29/8 prevê a contribuição negocial de 1,5% sobre o salário e PLR dos trabalhadores, com teto. A contribuição foi aprovada em diversos fóruns dos trabalhadores (Encontro Estadual e Conferência Nacional) e está também presente na minuta dos bancários entregue à Fenaban com o objetivo de fortalecer as entidades sindicais.


Será descontado o equivalente a 1,5% sobre o salário reajustado, com mínimo de R$ 50,00 e teto de R$ 250,00, numa única vez (em setembro). Com relação a PLR: 1,5% em cada parcela, com teto máximo de R$ 210,00.


A reforma trabalhista promovida pelo governo golpista de Temer trouxe inúmeros ataques e prejuízos à classe trabalhadora, com retirada de direitos e a clara tentativa de enfraquecer as entidades sindicais que defendem os trabalhadores. Uma delas foi o fim do imposto sindical (equivalente a um dia de trabalho ou 3,3% do salário de cada trabalhador). Teve fim também o desconto assistencial, cobrado sempre após a Campanha Salarial, no valor de 2%, sem teto.


Durante a Campanha Nacional dos Bancários 2018 foi garantido o direito de recebimento do aumento de 5% sobre todas as verbas para todos os bancários – sindicalizados ou não. Vencemos também a tentativa dos bancos de retirada de direitos e garantimos na Convenção os hiperssuficientes, que pela nova lei trabalhista seriam obrigados a negociar diretamente com os patrões, correndo o risco de terem sérios prejuízos nos seus direitos.