Crise mundial não afetou reajustes salariais em 2009

28

A crise financeira internacional, que se intensificou no final de 2008, não impediu que os trabalhadores tivessem ganhos acima da inflação no ano passado. Pesquisa divulgada dia 18/3 pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese) mostrou que, no balanço das negociações dos reajustes salariais de 2009, 80% ou mais das categorias conquistaram reajuste salarial acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Apenas 7,4% dos reajustes ficaram abaixo do índice e quase 12,7% das categorias tiveram reajuste igual à inflação.


O estudo foi feito com base nas 692 negociações salariais rea-lizadas em 2009 acompanhadas pelo Dieese em todo o País. O setor que teve o maior aumento no número de negociações com reajustes em ganho real, ou seja, acima da inflação, foi o de serviços.


Em 2008, 59% das negociações do setor resultaram em reajuste acima da inflação e, agora, em 2009, o percentual foi de 70%. O comércio ficou no patamar do ano anterior, de 88%. Já a indústria, um dos setores mais afetados pela crise, apresentou uma pequena queda, passando de 88% para 85%, na comparação entre os dois anos.


Entre as regiões, o Dieese constatou que, na Região Norte, 15,2% dos reajustes ficaram abaixo da inflação, representando o maior percentual do País. A Região Centro-Oeste foi a que apresentou o menor percentual de reajustes abaixo do INPC, 4,2%.


Para o Dieese, 2010 poderá ser um ano ainda mais positivo para as negociações trabalhistas caso as expectativas favoráveis se confirmem.