Cuidados com a saúde devem ser maiores

63

Férias escolares é sinônimo de farra para a garotada, mas também deve ser de muita atenção e cuidado para os pais. Os pais têm de supervisionar as atividades das crianças o tempo todo. Proteger e supervisionar ensinando os riscos a que a criança está exposta.


Cresce muito o número de acidentes com crianças nessa época. Não existem estatísticas sobre isso, mas dá para notar que a maior parte dos acidentes acontece no quintal, parquinho, clubes e praças. A ONG Criança Segura adverte que em viagens de carro é necessário usar assento de segurança adaptado à idade da criança. Quando estiverem próximas a piscina, mar ou até mesmo banheira devem ser observadas ininterruptamente. Quando a viagem é para locais frios é necessário tomar cuidado com as fogueiras, responsáveis por vários acidentes.


Em casa, o número de acidentes não tende a aumentar nas férias, mas os cuidados também são necessários. A cozinha é o local mais perigoso. Deve-se proibir as crianças de entrar na cozinha no horário em que a comida está sendo preparada. As panelas com cabo para fora do fogão e o forno ligado são os dois grandes perigos da cozinha.


Alimentação – A alimentação também merece atenção especial. Quem for adotar um ritmo mais acelerado no mês de julho – entre praias, festas e outros passeios – deve cuidar da alimentação e principalmente, ingerir mais líquidos. Uma média de três litros por dia. Cuidado ao comprar produtos vendidos ao ar livre, que possivelmente passaram horas expostos ao sol: não é aconselhável. O perigo é estragar as férias, com uma doença, como diarréia ou infecção intestinal, adquirida pela ingestão de alimentos contaminados.


Se as férias forem em praia, a piscina ou algum outro local exposto ao sol, o protetor solar é outro item indispensável. A exposição excessiva e prolongada ao sol não é recomendada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), por contribuir para o desenvolvimento de um câncer e o envelhecimento precoce da pele.

Cuidados com o bolso também nestas férias


Organizar férias não é fácil. Por isso, o Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (IBEDEC) dá dicas de como evitar que suas férias se transformem em um pesadelo:

• o consumidor deve ter atenção redobrada para as propagandas com ofertas muito vantajosas;

• o consumidor deve exigir um contrato por escrito com o preço total da viagem;

• o contrato deve conter a companhia aérea, transporte terrestre, hotéis, traslado, refeições, guia;

• o consumidor antes de fechar qualquer contrato deve pesquisar no PROCON se existe reclamação da agência contratada;

• o consumidor deve conferir se o vôo tem escalas e perguntar se tem direito a desdobrar a passagem para visitar outra localidade;

• o consumidor deve conferir a categoria do hotel e se o preço da diária é com meia pensão ou pensão completa;

• o consumidor deve ter cuidado com as atrações e eventos especiais que na maioria das vezes aumentam, e muito, o custo da viagem:

• o consumidor deve ter cuidado ao contratar “pacote de aventura”, para que não sofra qualquer acidente;

• o aluguel de um imóvel por temporada, exige atenção redobrada e acompanhamento de um advogado.

Fonte: IBEDEC