CUT e centrais vão às ruas pela divisão dos frutos do crescimento

53

28 de maio, Dia Nacional de Mobilização e Luta pela redução da jornada de trabalho sem redução de salário. Mais do que nunca, cresce o papel de cada dirigente de CUT estadual, Ramo, Federação e Sindicato, pois o que está em jogo é a divisão dos frutos do crescimento econômico, do ganho fantástico de produtividade conseguido pelos empresários, com o conjunto da classe trabalhadora.


A CUT-Ceará e entidades filiadas, Sindicatos e outras centrais elaboraram uma série de atividades na Grande Fortaleza. Durante a plenária Sindical, realizada no dia 20/5, foi discutida a organização do Dia Nacional de Luta, pela Redução da Jornada de Trabalho sem Redução de Salários. Ficou acertada a seguinte programação:


• 5h30min – Ato do Fórum Operário, em frente à Fábrica Metalúrgica FAE/Messejana;


• 9 horas – Ato dos servidores públicos estaduais, em frente à Assembléia Legislativa (os servidores reivindicam a implantação do Plano de Cargo, Carreira e Salários);


• 15 horas – Grande Passeata Pela Redução da Jornada de Trabalho, com concentração na Praça da Bandeira, saindo em passeata até a Praça do Ferreira, quando ocorrerá grande ato político.


A hora é de unidade na ação, de mobilização e conquista. Da mesma forma que em 1988 conseguimos a redução da jornada para 44 horas semanais, lutamos para conquistar as 40 horas de jornada constitucional, que nos permitirá mais tempo para o lazer, o convívio familiar e o estudo. Isso representa mais qualidade de vida, mais saúde e segurança no trabalho. Existe um sentimento crescente, que se espalha pela sociedade, de que esta é uma questão de justiça com quem constrói o País.


É muito importante que o conjunto da militância se some às panfletagens do dia 27, antecipando o Dia Nacional de Mobilização com farta distribuição de material para esclarecer as razões das assembléias, passeatas e paralisações que ocorrerão em apoio à medida. Para o dia 29, está sendo organizado uma delegação para entregar ao Congresso as centenas de milhares de assinaturas colhidas em todo o País.