CUT e demais centrais sindicais esperam retomar negociação do mínimo

20

Representantes da CUT e das demais centrais sindicais brasileiras esperam que as negociações em torno do novo valor do salário mínimo sejam retomadas nos próximos dias. Os representantes dos trabalhadores querem o mínimo no valor de R$ 580,00, enquanto o Governo fala em R$ 540,00.


A discussão sobre o valor do piso nacional começou em novembro, quando representantes de seis centrais sindicais – CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CGTB e NSCT – reuniram-se com os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Previdência Social, Carlos Gabas.


O reajuste das aposentadorias do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deverá ser definido apenas em um segundo momento. A correção da tabela de Imposto de Renda também foi incluída na pauta.


O governo quer manter a fórmula de reajuste para o mínimo acordada com as centrais em 2006. A regra considera a média de crescimento econômico dos dois anos anteriores mais a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA). Como 2009 registrou uma pequena retração da economia, o método representaria elevar de R$ 510,00 para R$ 540,00 o valor, sem aumento real. As centrais defendem a manutenção do padrão de cálculo, mas com a criação de uma exceção para 2011. O valor pretendido pelos sindicalistas seria de R$ 580,00.

INSS – O reajuste do benefício de aposentados e pensionistas que ganham mais do que o mínimo deve ser discutido apenas após o valor do piso salarial nacional ser definido, para se avaliar o peso nas contas públicas.