CUT mobiliza trabalhadores para ampliar conquistas

13

Mais de 20 mil pessoas tomaram as ruas de Brasília na última quarta-feira, dia 15/8, em mais um Dia Nacional de Luta promovido pela CUT. Desde as primeiras horas da manhã, trabalhadores e trabalhadoras das mais variadas categorias e estados começaram a chegar em caravanas à Esplanada dos Ministérios.


“Concluímos esta manifestação em frente ao Congresso plenamente vitoriosos, com a CUT aliando negociação à organização e à mobilização para garantir conquistas”, destacou o presidente nacional da CUT, Artur Henrique. Para ele, a hora é de ampliar a pressão para fazer valer a pauta da classe trabalhadora, sintetizada na seguinte palavra de ordem: “Garantir direitos, ampliar conquistas”.


Entre as bandeiras deste Dia Nacional de Luta estão a manutenção do veto presidencial à Emenda 3, a retirada definitiva do PLP 01, a manutenção e ampliação de todos os direitos previdenciários e pelo fim do fator previdenciário, por direito à terra, pela negociação coletiva no setor público, pelo direito irrestrito de greve e pelo fim do interdito proibitório, por uma educação pública de qualidade, pela redução da jornada de trabalho e pelo combate ao projeto de fundações estatais.


O pontapé inicial da agenda de manifestações em Brasília foi dado pelos bancários, que lançaram na capital federal a Campanha Nacional 2007.


Pela manhã, Artur Henrique esteve reunido com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Ele relatou que o Ministério havia se comprometido com o atendimento de três reivindicações da Central. O envio da Convenção 158 ao Senado, para ratificação, será feito pelo governo até o dia 7/9, no máximo. Durante a audiência, ficou acertado também que a proposta de criação de fundações estatais será revista, a partir de debates setoriais. Bernardo garantiu também que o governo vai estabelecer o processo de eleição direta de trabalhadores para o conselho de administração das empresas estatais.