CUT reivindica e deputados estaduais irão votar apoio ao projeto

12

No último dia 18/5, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) reuniu sindicalistas e integrantes dos movimentos sociais para ocupar a Assembleia Legislativa do Ceará para reivindicar o apoio dos deputados estaduais ao projeto da redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais. A iniciativa fez parte do Dia de Luta Nacional instituído pela CUT em todo o País.


O presidente da CUT-CE, Jerônimo do Nascimento, fez a entrega de uma carta solicitando o apoio à redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução de salários, a todos os deputados estaduais cearenses. A carta foi recebida simbolicamente em nome de todos os deputados do Legislativo, pelo presidente da Assembleia, deputado estadual Domingos Filho. O documento solicita que ele interceda junto ao presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, para que a Proposta de Emenda Constitucional – PEC 231/95, que trata da redução da jornada, seja colocada em votação ainda no primeiro semestre de 2010.

SEGUNDO JERÔNIMO – “frente aos ganhos para o País, e ao interesse público da proposta, solicitamos e contamos com o apoio do presidente da Assembleia do Ceará para que faça uso de suas atribuições parlamentares e políticas na defesa da inclusão da PEC na pauta do Congresso”.


O deputado Domingos Filho afirmou que irá encaminhar uma decisão do colegiado dos deputados estaduais à Câmara Federal. Com isso, se comprometeu a colocar para votação em plenário o apoio do legislativo cearense à proposta de redução da jornada de trabalho. Ele reforçou que a votação será positiva para que cada deputado estadual se posicione publicamente sobre a proposta.


Na avaliação do presidente da CUT-CE, o ato foi positivo e agradeceu a participação dos sindicalistas e representantes dos movimentos sociais, vindos das federações e dos sindicatos. Segundo Jerônimo foi boa a receptividade de muitos dos parlamentares à proposta. Ele destacou que cada deputado tem o desafio de lutar agora pela transferência de parcelas dos ganhos obtidos pelo setor produtivo para os trabalhadores, a partir da redução da jornada de trabalho sem a redução de salários, gerando empregos e melhorando a qualidade de vida dos cidadãos brasileiros.