CUT, UNE, MST e mais 25 entidades realizaram Assembleia dos Movimentos Sociais

20

A Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), que reúne 28 entidades, entre elas CUT, UNE e MST, realizou no dia 31/5, em São Paulo, uma Assembleia Nacional com o objetivo de discutir, elaborar e aprovar a plataforma política do movimento social brasileiro para as eleições 2010. O documento será amplamente divulgado ao conjunto da sociedade e inclui a pauta de reivindicações dessas entidades aos candidatos a presidente, governador, senador, deputado federal, estadual e distrital.


A Assembleia Nacional dos Movimentos Sociais aconteceu na quadra da sede do Sindicato dos Bancários. Participaram cerca de 3 mil pessoas de todas as regiões do País, que representam movimentos de moradia, estudantis, trabalhadores, sem terra, sem teto, desempregados, além de intelectuais, comunicadores, pastorais e diversos sindicatos. A participação foi aberta a todo cidadão, sem necessidade de credenciamento prévio.

POSICIONAMENTO PÓS GOVERNO LULA – Apesar de o governo Lula ter sido o que mais dialogou com os movimentos sociais brasileiros, a CMS aponta que as mobilizações e a pressão popular irão se acirrar em 2011, independentemente do resultado eleitoral. Além de aprovar o texto, a assembleia serviu para organizar as próximas mobilizações unificadas. A CMS incentivou também a constituição de comitês populares de campanha para as eleições 2010. Serão espaços pluripartidários de articulação dos movimentos sociais para intervenção no processo eleitoral.

PRÉ-SAL, MEIO AMBIENTE, DESENVOLVIMENTO E SOLIDARIEDADE – O texto aprovado se divide em cinco eixos temáticos, com o propósito de apontar as posições e intervenções da CMS sobre o atual momento político. Os cinco pontos são: “Soberania Nacional”, “Desenvolvimento”, “Democracia”, “Mais Direitos ao Povo” e “Solidariedade”. Para além desses temas, o documento inclui novas bandeiras como a defesa do pré-sal 100% para o povo brasileiro, uma política de desenvolvimento social e ambientalmente sustentável, valorização do trabalho, universalização da internet banda larga e o fim das patentes de remédios.

QUEM PARTICIPA DA CMS – CUT (Central Única dos Trabalhadores) / MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) / CMP (Central de Movimentos Populares) / UNE (União Nacional dos Estudantes) / ABI (Associação Brasileira de Imprensa) / CNBB/PS (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-Pastorais Sociais) / Grito dos Excluídos / MMM (Marcha Mundial das Mulheres) / UBM (União Brasileira de Mulheres) / CONEN / MTD (Movimento dos Trabalhadores Desempregados) / MTST (Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Sem Teto) / CONTEE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino) / CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) / Conam (Confederação Nacional das Associações de Moradores) / UNMP (União Nacional por Moradia Popular) / Ação Cidadania / Cebrapaz (Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz) / ABRAÇO (Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária) / CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil) / CNQ (Confederação Nacional do Ramo Químico) / FUP (Federação Única dos Petroleiros) / CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) / CMB (Confederação das Mulheres do Brasil) / ANPG (Associação Nacional dos Pós Graduandos).