De Fatos Não Midiáticos que aconteceram em São Paulo, Alagoas e Ceará

48

Primeiro. No Estado mais rico da federação sucedeu que num único dia – o fatídico 16 de dezembro de 2007 – 144 pessoas abocanharam a bagatela de R$ 1 bilhão na Bolsa de Mercadorias & Futuros. Exemplificativamente: o senhor Marcos de Souza Barros sozinho levou exatos R$ 134 milhões e o senhor Daniel Mendonça de Barros, filho do ex-Ministro das Telecomunicações Luiz Carlos Mendonça de Barros e sócio da Link Corretora da BM&F, ficou com R$ 8 milhões. Como ganharam tanto dinheiro em suas vidas? Os jornais explicam em poucas linhas a engenharia financeira: tudo dentro da legalidade – “foi feita uma transferência de propriedade dos títulos patrimoniais das corretoras para as pessoas físicas. Com isso, deixaram de pagar 33% de imposto de renda, cobrado das instituições financeiras, para pagar 15%”. Esta matéria está detalhada no Jornal “Valor Econômico”, de 16 e 17 de novembro de 2007.


Segundo. A famosa revista inglesa The Economist – a partir de um estudo do professor da Universidade Federal de Alagoas, Cícero Péricles de Carvalho – divulgou recentemente que metade das famílias daquele Estado é amparada pelo programa Bolsa Família. A outra metade é abrigada pela Previdência Social. O destaque da matéria é que o programa do Governo Federal injeta mais recursos do que todo o corte de cana-de-açúcar. O trabalhador alagoano ao cortar uma tonelada de cana ganha a exorbitância de R$ 3,00. O Bolsa Família injeta R$ 300 milhões por ano. Para decepar a cana alagoa-na toda, o patronato paga R$ 75 milhões. E assim o estudo da Universidade de Alagoas mostra que a Bolsa Família tem impacto positivo no comércio de Alagoas desde março de 2004 com sucessivos recordes de consumo: são 48 meses ininterruptos de aumento de consumo popular.


Terceiro. Aqui no Ceará, em pleno Instituto Penal Paulo Sarasate, padres e professores leigos desenvolvem uma experiência inédita de curso de Teologia no Presídio. São presos que passaram no vestibular e serão profissionais de nível superior. É isso mesmo que vocês estão lendo. É a própria utopia como exemplo de resgate: para eles e para nós todos. A Universidade vai ao Presídio por mãos santas que não as de Oscar.


Estes fatos acima relatados são fragmentos do capitalismo brasileiro atual ou, se preferirmos, infelizmente são pedaços da vida real do povo brasileiro. Ainda convivemos com uma elite financista que amealha fortunas, enquanto o povo sobrevive solidariamente com muito pouco e, nesta solidariedade praticada, se fortalece para uma longa e necessária luta política para mudar a vida coletivamente.