DEFINIDO O CALENDÁRIO DE NEGOCIAÇÕES DA CAMPANHA DOS BANCÁRIOS

18


Foi definido dia 31/7 o calendário de negociações da Campanha Nacional dos Bancários. O cronograma foi acertado na reunião por videoconferência entre o Comando Nacional da categoria e os representantes da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A primeira negociação será sobre teletrabalho.


A proposta para o calendário de negociações foi apresentada pela presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira. Já nesta semana, a proposta é de haver duas reuniões de negociação, a primeira em 4 de agosto, quando seria debatida a regulamentação do teletrabalho, e outra no dia 6, quando o tema seria a defesa do emprego.


“Que a negociação avance. Antes tínhamos o problema do deslocamento de diretores de entidades sindicais de todo o Brasil e o retorno logo após a reunião. Agora, com reuniões em videoconferência, entendemos que é possível acelerar esse calendário. Como fomos pegos por uma pandemia, propomos um calendário mais acelerado”, explicou Juvandia. O negociador da Fenaban, Adauto Duarte, aceitou a proposta de calendário.


Outro ponto levantado na reunião foi o da ultratividade, que garante a validade dos Acordos Coletivos e Convenção Coletiva até que se negocie outra. Desde a reforma trabalhista de 2017, não está mais em vigor a ultratividade. Conquistas como Participação dos Lucros e Resultados (PLR), Vale-Alimentação, Vale Refeição, auxílio-creche, adicional por tempo de serviço, licença maternidade estendida e outros direitos contidos na CCT dos bancários ficam ameaçados caso um novo acordo não seja fechado até 31 de agosto.


“Temos insistido com a ultratividade desde o começo na negociação da pandemia. Todos estamos preocupados com a vida dos trabalhadores, não devemos agregar mais essa tensão que é a validade das cláusulas dos acordos”, ressaltou a presidenta da Contraf-CUT. Os representantes da Fenaban tentaram evitar uma definição sobre a ultratividade e se disseram convictos de que a negociação terminaria antes do dia 31. “A ultratividade é importante e a Fenaban se negou a assinar. Podemos ter dificuldade no fechamento da negociação e aumentar os conflitos caso não tenhamos mais tempo. Por isso reiteramos o pedido da prorrogação do acordo. Cobramos que eles reavaliem a questão”, declarou Juvandia.


BANCO DO BRASIL – Ao final da negociação com a Fenaban, o Comando Nacional dos Bancários se reuniu com diretores do Bando do Brasil, para a entrega da pauta específica dos trabalhadores da instituição. As reivindicações foram definidas no 31º Congresso dos Funcionários do banco, realizado no dia 12/7. Entre os pontos apresentados aos representantes da direção do banco está a luta contra a privatização com a defesa do caráter público do BB; a manutenção da mesa única de negociações com a Fenaban; a manutenção dos direitos dos funcionários; e a regulação do teletrabalho. A próxima reunião foi agendada para o dia 5 de agosto. Em pauta o debate sobre teletrabalho.


“A participação da direção do banco na mesa única é algo que ocorre ao longo de muitos anos, desde 2003. Vocês sabem bem da nossa defesa dos bancos públicos que está na minuta entregue hoje”, disse Juvandia Moreira.