Denunciar é o melhor caminho para combater o abuso e a exploração de crianças e adolescentes

30

No último dia 18/5 comemorou-se o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Embora em algumas cidades o número de casos tenha diminuído, as situações de abusos e exploração sexual continuam acontecendo e o que é pior, muitas vezes, a violência é constatada dentro da própria família, no caso do abuso. Já a exploração tem fins comerciais, como a prostituição, pornografia e o tráfico.

O Conselho Tutelar do Ceará registrou, de maio de 2005 até agora, cerca de 500 casos e a redução das ocorrências é atribuída a projetos assistenciais como Agente Jovem, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), Sentinela e outros desenvolvidos por Organizações Governamentais e Não-Governamentais (ONGs), que atendem em torno de 2 mil crianças e adolescentes em situação de risco.

A maior parte dos abusos sexuais acontece dentro de casa e a criança é convencida a guardar segredo, muitas vezes, sob ameaça física e psicológica. As crianças e os adolescentes vulneráveis a esse tipo de violência sofrem danos irreparáveis para o seu desenvolvimento físico, psíquico, social e moral. Esses danos podem trazer conseqüências muito penosas para sua vida, como, por exemplo, o uso de drogas, a gravidez precoce indesejada, distúrbios de comportamento, condutas anti-sociais e infecções por Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

A Campanha de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes orienta os pais quanto ao comportamento das vítimas desse tipo de crime para procurar perceber nos filhos comportamentos estranhos e conhecimento sexual não adequado à sua idade, isolamento, depressão etc. Ao fazer estas advertências, a Campanha conclama os pais e familiares a romperem com o pacto de silêncio, que encobre as situações de abuso e exploração contra crianças e adolescentes. Não se pode ter medo de denunciar. Essa é a única forma de ajudar esses meninos e meninas. Denuncie. No Ceará, o telefone é 0800 99 0500. Não é necessário se identificar e a ligação é gratuita.