Denúncias sobre uso de passagens podem derrubar diretor do BNB

6


Meio milhão de reais. É o tamanho da fatura, sem correção, pela compra de passagens aéreas utilizadas pelo diretor de negócios do BNB nos últimos seis anos nas suas idas e vindas entre Fortaleza e Salvador, sua cidade natal.


Os gastos vêm sendo autorizados de forma indevida pelo Gabinete da Presidência do Banco. As despesas estão sendo investigadas pelos órgãos de fiscalização por estarem em desacordo com norma interna do Banco e os preceitos preconizados no âmbito da administração pública.


As denúncias teriam motivado pedido de renúncia do diretor de negócios do Banco, logo depois retirado, dizem, por orientação do Governador da Bahia e por lideres do Partido Progressista (PP) baiano, que seriam os responsáveis pela indicação e manutenção daquele mandatário do BNB, no cargo desde a primeira gestão de Roberto Smith.


As frequentes viagens do diretor à capital baiana teriam, segundo comentários correntes dentro do BNB, motivação não apenas familiar. Razões de cunho financeiro sobrepunham-se.


Existem denúncias que o diretor despachava todos os finais de semana em seu escritório em Salvador a liberação de projetos envolvendo vultosas quantias a serem liberadas pelo BNB.


O Sindicato dos Bancários do Ceará reitera o pedido de afastamento imediato não só do diretor de negócios, mas dos outros três remanescentes da administração Smith por entender que todos são, no mínimo, coniventes com as irregularidades que estão sendo apuradas no âmbito da Empresa.