Desemprego atinge em setembro a menor taxa da série histórica da PED

14

O número de pes-soas desempregadas em sete regiões metropolitanas do País em setembro é o menor em 21 meses, de acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). A taxa de desemprego passou de 11,9%, em agosto, para 11,4%, em setembro, no conjunto das regiões pesquisadas: Distrito Federal, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo.


É a menor taxa desde janeiro de 2009, quando teve início a pesquisa nas sete regiões metropolitanas. O total de desempregados no período foi estimado em 2,516 milhões de pessoas, 109 mil a menos do que no mês anterior. A taxa de ocupação aumentou 0,8%, com a criação de 153 mil postos de trabalho. No período, 44 mil pessoas ingressaram no mercado de trabalho e 109 mil pessoas deixaram a situação de desemprego.

NA CAPITAL CEARENSE – Fortaleza (inclui toda a Região Metropolitana) foi uma das capitais que apresentou maior queda na taxa de desemprego, segundo avaliação feita pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), publicada na quarta-feira (27/10). Ediran Teixeira, coordenador da Pesquisa de Emprego e Desemprego do Dieese/CE, informou que essa queda representa aumento na ocupação, quando os trabalhadores estão melhor se inserindo e com mais facilidade no mercado de trabalho. “A pressão está sendo respondida com novos postos de trabalho”, disse. Em comparação com agosto, a taxa na capital cearense caiu de 9,2% para 8,7%, a menor taxa dos últimos dois anos (desde a implantação da PRD em dez/2008).


O mercado de trabalho está aquecido, com maior dinamismo para a construção civil que gerou 10 mil ocupações, e o setor de serviços, que começa a contratar para o período de alta estação, absorvendo 24 mil pessoas. “A PED está nesse ambiente pesquisando e revelando esses números, mas precisamos ressaltar alguns fatores, tais como: melhora a ocupação, redução do desemprego, porém o rendimento ainda mão acompanha o ritmo dde crescimento da ocupação. A PED de Fortaleza registra o menor salário entre as capitais pesquisadas do País”, disse Ediran.