Diabetes atinge cerca de 200 milhões de pessoas no Mundo

34

O Dia Mundial do Diabetes foi criado em 14 de novembro de 1991, com o objetivo de conscientizar a população sobre a doença, que atinge cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo. O controle da taxa de glicose no sangue é essencial para que os diabéticos não tenham consequências graves como, por exemplo, a amputação de membros ou cegueira. Por este motivo, sedentarismo e alimentação inadequada devem passar longe das pessoas com diabetes.


A doença ocorre quando o organismo não produz insulina (hormônio gerado no pâncreas que transporta a glicose para as células), suficiente ou resiste à sua ação, resultando em taxas de glicose no sangue excessivamente altas. Assim, aparecem os sintomas e as complicações do diabetes.


O diabetes mellitus (nome completo da doença) divide-se em dois grupos. No tipo 1, o mais raro (ocorre em apenas 10% dos diabéticos), as células que produzem a insulina no pâncreas são destruídas pelo organismo, comprometendo a produção de insulina. No diabetes tipo 2, o portador da doença produz a quantidade necessária de insulina, no entanto, seu organismo desenvolve uma certa resistência ao hormônio, impedindo o controle das taxas de glicose.

ATENÇÃO NOS SINTOMAS – Os sintomas de ambos os tipos do diabetes são muito semelhantes. Com o aumento da glicose na urina, os rins produzem mais água para diluí-la, causando polidipsia (sede excessiva). Como uma maior quantidade de calorias é eliminada pela urina, a pessoa consequentemente (por mecanismo de compensação) sente mais fome. Náuseas, visão turva, sonolência e diminuição da disposição para praticar atividades físicas são também sintomas que merecem atenção.


A longo prazo, as complicações começam a aumentar e daí a importância do controle de glicose desde o momento em que a doença é diagnosticada. Isto porque o acúmulo desta substância nas paredes dos vasos sanguíneos provocam o seu espessamento. Com isso, o transporte de sangue necessário aos tecidos é comprometido, podendo gerar doenças como a aterosclerose: “Quando uma artéria apresenta um estreitamento, as partes do corpo supridas por este vaso não recebem uma quantidade adequada de sangue e oxigênio. Uma obstrução grave pode causar a morte do tecido necessitando, inclusive, de uma amputação”, explica Dr. Álvaro Razuk Filho, diretor científico da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular.


Os níveis elevados de glicose no sangue e má circulação podem causar também alterações fisiológicas no coração, no cérebro, nas pernas, nos olhos (comprometendo a visão), nos rins (insuficiência renal), nos nervos (formigamentos e redução das sensações) e na pele.

PREVENÇÃO É NECESSÁRIA – A compreensão da necessidade de uma dieta equilibrada é imprescindível para que não ocorram problemas como hipoglicemia (falta de glicose no sangue) ou carência de outros nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Acompanhamento médico e atividade física farão com que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida e amenize os problemas causados pela doença. Vale ressaltar a importância de evitar a ingestão de doces, se alimentar regularmente e não ficar mais de 3 horas em jejum.


O alto nível de colesterol é outro problema enfrentado pelos diabéticos, que devem então, evitar a ingestão de gorduras saturadas. Existem também medicamentos bastante eficazes no controle de colesterol, que serão prescritos pelo médico conforme a necessidade.