DIREÇÃO DA FUNCEF DEIXA PARTICIPANTES SEM DÉCIMO TERCEIRO

34


Os participantes da Funcef tiveram uma surpresa ao receber o contracheque de novembro no último dia 20/11: o desconto do equacionamento ficou em torno de 40% do benefício. No mês em que o trabalhador deveria ter um alívio nas contas, já que recebe a segunda parcela do 13º salário, o pagamento das contribuições extraordinárias comerá todo o 13º recebido.


É que além dos 20% de desconto (em média) sobre o rendimento de novembro, também existe a contribuição extraordinária integral sobre o valor total do 13º e o pagamento do imposto de renda que incide sobre o total do valor da contribuição extraordinária.  Quem, por exemplo, recebe R$ 5 mil de benefício, aguarda uma parcela de R$ 2.500 de 13º, mas terá que pagar 20% sobre o valor total, ou seja, deixará R$ 2.000,00 na Fundação, além de pagar 27,5% de imposto de renda sobre seus rendimentos, contando salário e valor total do benefício da Funcef, sem considerar o desconto do equacionamento). O resultado dessa equação é que o trabalhador não terá 13º salário este ano, pois terá que devolver o equivalente a esse valor em impostos e equacionamento.


Estranhamente, além dos costumeiros problemas de sistema da Caixa, o desconto do Saúde Caixa não foi feito neste mês, deixando no ar a dúvida: a Funcef fez um acordo com o banco para jogar esse valor para o mês que vem, quando o participante terá que pagar por novembro e dezembro?


“A situação do participante é gravíssima. A questão do 13º foi muito malconduzida pela Funcef e as consequências quem está sofrendo é o participante”
Marcos Saraiva, diretor do Sindicato e da Fenae