Dirigentes da COE organizam trincheira para exigir respeito aos bancários

9


A representação da Comissão de Empresa dos Funcionários do Itaú, que negocia com banco, esteve reunida no último dia 2/3, em São Paulo, para avaliar e buscar solução para uma série de problemas que atormentam os trabalhadores do banco. Foram destacados: as demissões, segurança bancária, condições de trabalho e plano de saúde. Está agendada negociação entra a Comissão de Empresa e a direção do Itaú para o dia 16/3.


Sobre demissões – Os desligamentos que estão ocorrendo no Itaú estão na contramão da sua alta lucratividade, sendo recordista no Sistema Financeiro. Além das demissões, o banco vem fazendo reposição de sua mão de obra com salários inferiores, o que caracteriza alta rotatividade.


Condições de Trabalho – As metas abusivas continuam e tem levado ao

adoecimento da categoria. Antes as doenças eram por esforço repetitivo, mas hoje são no âmbito psíquico. Os bancários estão trabalhando lesionados com medo de serem demitidos. Esse problema é grave e a COE vai fazer o enfrentamento com o Itaú.


Segurança bancária – Os representantes dos bancários exigem mais investimento nessa área, para dar mais proteção aos bancários, clientes e usuários. Hoje há deficiência na questão segurança, no aspecto geral.


Plano de Saúde – O banco de forma unilateral substituiu as carteiras da Unimed, sem ouvir o movimento sindical. Além disso, há grande demora na autorização de exames de alta complexidade e cirurgias.


“Vamos enfrentar o Itaú e exigir solução para os problemas que afligem a categoria. Para isso a COE organiza uma grande trincheira para garantir os direitos e avançar nas conquistas”
Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE Itaú