DIRIGENTES SINDICAIS COBRAM DO BRADESCO GARANTIA DOS EMPREGOS

22


Na última reunião dos representantes dos trabalhadores, com a direção do Bradesco, em 11/2, foram cobradas explicações sobre a reestruturação do banco, a manutenção dos empregos e melhorias no seguro saúde. As prioridades apresentadas pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) Bradesco visam, principalmente, garantir o emprego e a realocação dos trabalhadores das agências que estão sendo fechadas.


O dirigente do banco garantiu que não haverá́ demissões em massa, que os trabalhadores serão remanejados e o banco assume o compromisso de preservar os empregos. O Bradesco não se opôs a assinar o termo de adesão voluntária da cláusula 54 da CCT, que trata de requalificação e realocação profissional, junto com os demais bancos que compõem a mesa unificada da Fenaban.


Os representantes dos trabalhadores reivindicaram um calendário de reuniões no âmbito das federações, que será definido a partir deste mês, e o banco se comprometeu a apresentar detalhes, na sede da Contraf-CUT (SP), sobre o Programa de Desenvolvimento Organizacional para Melhoria Contínua de Adesão de Trabalho.


CONTRAF-CUT PEDE ESCLARECIMENTO – A Contraf-CUT, através da COE do Bradesco, solicitou reunião com a direção do banco para esclarecimentos sobre o Prêmio de Desenvolvimento Extraordinário (PDE), e sobre sua regulamentação. A reivindicação é que a reunião aconteça ainda em fevereiro, pois é importante saber se envolve todos os funcionários e quais critérios serão usados.


“Na reunião, o movimento sindical debateu as reivindicações específicas dos funcionários do banco, buscando solução para várias questões, como o Plano de Saúde e Dental, plano de remuneração, plano de saúde para aposentados, bolsas auxílio educação, entre outras”
Telmo Nunes, diretor do SEEB/CE