Dirigentes sindicais do Itaú exigem fim das demissões

13

A defesa do emprego será a prioridade dos bancários do Itaú neste ano de 2012. Essa foi uma das principais resoluções do Encontro Nacional de Dirigentes Sindicais do Itaú Unibanco, promovido pela Contraf-CUT, que se encerrou no dia 15/12, em Nazaré Paulista (SP). Os sindicalistas de todo o País repudiaram o processo de demissões em curso no banco e definiram a pauta de reivindicações específicas para ser negociada com a instituição.


“Nada justifica o Itaú eliminar postos de trabalho, implementar uma rotatividade tão alta e desrespeitar tanto os seus funcionários, que são os principais responsáveis pelos lucros recorde alcançados pelo banco em 2011, os maiores do setor financeiro nacional”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e funcionário do banco. “Vamos lutar por garantia de emprego, com a aplicação das diretrizes da Convenção 158 da OIT”, completa.


Os trabalhadores vão cobrar ainda o cumprimento da jornada de trabalho e mais contratações. “O Itaú dos comerciais da TV não é o Itaú do dia-a-dia. Os funcionários convivem com sobrecarga de trabalho e pressão pelo cumprimento de metas abusivas. Precisamos mudar essa realidade, que vem levando muitos ao adoecimento”, afirma Wanderley Crivellari, membro da coordenação da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú. “Vamos reivindicar melhores condições de trabalho e de segurança para bancários, vigilantes, clientes e usuários”, completa.


Outro item importante da pauta de reivindicações diz respeito à Participação Complementar nos Resultados (PCR). “Queremos discutir melhor remuneração para os funcionários, com PCR maior e o fim do desconto dos valores dos programas próprios da PLR (Participação nos Lucros e Resultados)”, destaca Jair Alves, membro da coordenação da COE do Itaú.


Também consta da pauta a luta por previdência complementar fechada para todos os funcionários, melhorias no Plano de Saúde e medidas para garantir igualdade de oportunidades e o fim das discriminações de gênero, raça, orientação sexual e contra pessoas com deficiência dentro da empresa.

Balanço do Itaú – Durante o Encontro, Cátia Uehara, técnica do Dieese, apresentou os principais resultados do Itaú Unibanco entre janeiro e setembro de 2011. “O ano foi de bons resultados para o banco”, afirma Cátia. A técnica do Dieese ressalta os principais dados:


• O Lucro Líquido nos primeiros nove meses do ano de 2011 atingiu R$ 10,9 bilhões (crescimento de 16% com relação ao mesmo período de 2010);


• O Produto Bancário (Margem Financeira + Receitas de Prestação de Serviços + Resultado de Seguros, Previdência e Capitalização) atingiu R$ 54,7 bilhões – crescimento de 12,5%;


• A Rentabilidade do PL foi de 22,4% no período (23,8%, de janeiro a setembro de 2010);


• O Resultado Bruto da Intermediação Financeira cresceu 12,6% atingindo R$ 26,1 bilhões nos nove meses;


• As Despesas de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa atingiram R$ 14,5 bilhões com crescimento de 22,8% no período;


• Ativos Totais apresentaram crescimento de 22,6% em relação a setembro de 2010, atingindo R$ 837 bilhões no período;


• A Carteira de Crédito atingiu a cifra de R$ 382,2 bilhões em setembro de 2011 – crescimento de 22,8%;


• A Carteira de Títulos e Valores Mobiliários cresceu 33,3%, chegando a R$ 171 bilhões;


• O Patrimônio Líquido da instituição atingiu o valor de R$ 68,2 bilhões, com crescimento de 19% em relação a setembro de 2010;


• Fechamento de 3.867 postos de trabalho entre março e setembro de 2011;


• “Reestruturação” da área de crédito ao consumidor e cartão de crédito;


• Pontos de Atendimento de Correspondente Bancário – maio/2011: 14.912.