Dirigentes sindicais elaboram estratégias para 2008

15

Com coordenação da Fetec/NE, 51 dirigentes sindicais de bancos privados (ABN Real/Santander, Bradesco, HSBC, Itaú, Rural e Unibanco) participaram nos dias 5 e 6/12, em Recife, de um encontro com o objetivo de avaliar a Campanha Salarial 2007 e as negociações permanentes.


Durante o evento, os dirigentes trabalharam em grupos específicos para elencar os problemas vivenciados pelos bancários e elaborar alternativas para ampliação das conquistas.


Entre as principais deliberações estão: a distribuição do material produzido no encontro para as Comissões de Empresa de cada banco, a implementação do Plano de Estratégia coordenado pela Fetec/NE nos sindicatos e realização de um encontro de mulheres e de um debate sobre assédio moral (em fev/2008).


Para o vice-presidente da Fetec/NE, Ribamar Pacheco, “este encontro representou o marco na organização dos dirigentes. Com isso, a Fetec/NE ratifica sua posição de vanguarda na defesa dos trabalhadores”.


O diretor do SEEB/CE e bancário do Unibanco, Alex Citó, faz uma avaliação positiva do encontro. “Foram dois dias proveitosos, onde debatemos questões gerais e específicas dos bancários que certamente contribuirá para as discussões nacionais visando à campanha salarial 2008”, afirma.


Deliberações específicas – No grupo de trabalho dos dirigentes pertencentes ao banco Itaú, a primeira ação a ser executada será a participação articulada de todos os sindicatos filiados à Fetec/NE na Jornada Internacional de Luta, que ocorre de 10 a 14/12, cujo objetivo é exigir tratamento isonômico para os trabalhadores onde o banco tem atuação (Argentina, Brasil, Chile e Uruguai).


Já no grupo do Bradesco foram debatidos temas como segurança, assédio moral, plano de saúde e planos de cargos e salários. Segundo o secretário de Organização da Fetec/NE e funcionário do Bradesco, Telmo Nunes, “este foi um fórum importante onde os dirigentes tiveram a oportunidade de socializar os problemas das suas respectivas bases e, a partir daí, criar ações coletivas para combater os problemas”.


Dentre as discussões do ABN/Real estão: reavaliação do projeto ARTE, assédio moral, isonomia, segurança, convênio médico, melhores salários, banco de horas, entre outras.