Dirigentes sindicais preparam mobilizações contra demissões

15

Os bancários de Santander e Real estarão mobilizados na luta pelo fim imediato das demissões e por garantia de emprego frente à fusão entre os dois bancos e a crise financeira internacional. Esse foi o tema prioritário dos debates do Encontro Nacional dos Dirigentes dos dois bancos, ocorrido entre os dias 9 e 11/2. Além da questão do emprego, os sindicalistas definiram as reivindicações e a estratégia para a mesa permanente de negociações com o banco.


Foi definida a realização de uma campanha de mídia para sensibilizar a sociedade a respeito da importância do tema das demissões. Paralelamente, uma série de mobilizações será organizada pelos sindicatos, que deverão aumentar a comunicação com os trabalhadores e repassar as principais informações sobre o processo de negociação. Foi definido o slogan “Santander: Chega de Demissões! Respeite o Brasil e os Brasileiros!”, como mote para as mobilizações.


Os dirigentes também destacaram a importância de retomar as negociações a respeito da cláusula de incentivo aos bancários que estejam em estágio de pré-aposentadoria nos dois bancos. Segundo o diretor do SEEB/CE, Eugênio Silva “a licença remunerada pré-aposentadoria é uma das reivindicações de maior relevância para os bancários do Real e Santander”.

Negociação permanente – Os bancários decidiram retomar imediatamente o processo de negociação da PPR deste ano, que ainda não foi assinada. Ao mesmo tempo, será iniciada a discussão para a criação de uma PPR unificada para todos os trabalhadores do Santander-Real no próximo período. Os trabalhadores também irão cobrar do banco a prorrogação do atual Aditivo à Convenção Coletiva até a assinatura de um novo acordo. Além disso, foi reivindicada a imediata abertura das inscrições para o Auxílio Educação dos trabalhadores do Santander. No Real, as inscrições para o auxílio já estão abertas.