Dirigentes Sindicais reforçam que não aceitam demissões no Itaú Unibanco

20

Emprego, saúde e condições de trabalho foram os temas centrais discutidos pelos representantes dos bancários – COE/Itaú e Contraf-CUT – e a direção do Itaú Unibanco em negociação realizada na tarde de quinta-feira, dia 12/5, em São Paulo. Durante a reunião, os dirigentes sindicais reforçaram que não aceitam demissões e fizeram duras críticas às condições de trabalho que estão levando muitos trabalhadores ao adoecimento.


Os bancários deixaram claro para o banco que não aceitam os desligamentos e qualquer mudança que venha a ocorrer em qualquer área do banco deve ser discutida com os trabalhadores.


O banco afirmou que vai reativar o Centro de Realocação interno como forma de aproveitar os funcionários na empresa na medida que surgirem vagas, evitando, assim, desligamentos. Os bancários vão acompanhar o processo e verificar se a medida será de fato eficaz.


Os representantes dos bancários do Itaú Unibanco disseram que estão atentos a tudo que vem ocorrendo no banco e preparados para intensificar a mobilização em defesa do emprego e dos direitos dos trabalhadores e que o tema voltará a ser discutido com o banco nas próximas semanas.

SAÚDE – Outro tema abordado na negociação do dia 12/5, foi a saúde, onde o banco fez uma exposição de como está ocorrendo o retorno dos bancários por afastamento médico – acidente de trabalho e doença ocupacional. Nesse debate, participou também o secretário de Saúde da Contraf-CUT, Plínio Pavão, que apontou as dificuldades encontradas pelos funcionários que adoecem e passam por perícias médicas e com o médico do trabalho. A negociação sobre saúde voltará a ser tema de discussão nas próximas semanas.


O representante da Fetec/NE na COE/Itaú e diretor do SEEB/CE, Ribamar Pacheco disse –“repudiamos as demissões. Se confrontarmos a lucratividade do banco dos últimos anos, vemos que as demissões são injustificáveis, pois os responsáveis por essa alta lucratividade do banco estão sendo penalizados injustamente”, disse.