É hora de reagir ou será o fim dos nossos direitos!

21


Porque vamos parar dia 28 de abril!


O golpista Michel Temer assumiu a presidência já fazendo desmontes: fim da farmácia popular, fim do Ciências Sem Fronteiras, entrega do pré-sal à exploração estrangeira, além de PDV’s nas empresas estatais, aprovação de medidas e leis notadamente prejudiciais aos trabalhadores, com claras intenções de pagar a fatura a quem financiou o golpe.


Desmonte nos bancos públicos – Obedecendo as ordens do golpista Temer, as direções dos bancos públicos federais, BB, Caixa e BNB, vêm implementando nos últimos meses uma série de Programas de Desligamentos Voluntários (PDV’s), fechando unidades e setores importantes, aumento da carga de trabalho para os bancários que permanecem nas unidades, cortando comissões, tudo sobre o pomposo nome de “reestruturação”. Os bancos federais nos últimos anos têm apresentado grande lucratividade e importante papel no desenvolvimento e economia do País, então, a quem interessa o desmonte dessas instituições?


Lei da Terceirização – Sancionada dia 31/3, em meio a uma gigante onda de protestos contra o governo, a lei da terceirização libera a prática irrestrita em todas as empresas, sejam elas públicas ou privadas. Além de liberar a terceirização nas atividades-fim, a nova lei permite ainda a “quarteirização” dos serviços, precarização das condições de trabalho, criação de duas categorias de trabalhadores dentro de uma mesma empresa e mais dificuldade em questionar seus direitos na justiça.


PEC da Morte – Aprovada em 2º turno no dia 13/12, a PEC 241 congela por 20 anos, independentemente do crescimento da população ou das mudanças decorrentes de um período tão longo, os investimentos do Brasil em saúde, educação, infraestrutura. Além disso, a PEC afeta as despesas com pessoal no serviço público. Especialistas afirmam que corrigidas apenas pelo IPCA, o limite de gastos imposto pela PEC vai prejudicar ainda direitos sociais hoje existentes, além de precarização do serviço público e sucateamento da infraestrutura do País.


O “Pacote de Maldades” não para por aí! – E o baú de maldades do governo golpista de Temer ainda não está fechado. Na ordem do dia do Congresso, duas outras reformas extremamente prejudiciais aos direitos dos trabalhadores: a reforma da previdência e a reforma trabalhista. Tudo com a ajuda de um Legislativo conivente com o golpe, que apoia o governo ilegítimo e aprova as mais absurdas medidas, por mais mesquinhas que estas sejam.