Editorial

16

O Projeto de Lei 6.259/05 trata da isonomia entre Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia e Casa da Moeda do Brasil.


Como legítimo representante da classe bancária, o Sindicato dos Bancários do Ceará acompanha e articula desde a concepção do presente PL junto ao então Deputado Federal, hoje Senador, Inácio Arruda (PCdoB–CE) e, hoje, o PL tem como autor o Dep. Daniel Almeida (PCdoB–BA), com quem o Sindicato do Ceará tem grande espaço para intervir favoravelmente no Projeto de Lei.


Quanto à tramitação do PL, de acordo com a decisão da Mesa Diretora da Câmara, o projeto terá parecer conclusivo nas comissões temáticas em que tramitará, ou seja, não haverá necessidade de ser apreciado pelo plenário da Casa, no entanto, terá que ser apreciado pela Comissão de Trabalho Administração e Serviço Público (CTASP), Comissão de Finanças e Tributação (CFT) e por último será apreciado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara Federal, em seguida irá para a casa revisora, neste caso, o Senado Federal, para só então ser sancionado pela Presidência da República.


Dentre outros projetos de lei de interesse da categoria e sabedor de como é árduo o processo legislativo, o Sindicato dos Bancários do Ceará, em conjunto com a CONTRAF, não tem medido esforços no sentido de viabilizar, da melhor forma possível, o trâmite do projeto.


O presente PL encontra-se na primeira Comissão (CTASP) e tem como relator o Deputado Eudes Xavier (PT-CE) que, como fiel representante da classe trabalhadora, deu o parecer pela aprovação na comissão, porém, cabe ao relator articular junto aos seus pares o melhor momento de se colocar em pauta a matéria para ser apreciada e, se entender que o momento não é o ideal, estrategicamente se retira de pauta evitando-se assim que o PL seja desaprovado. Como já aconteceu anteriormente.


É fato que o Sindicato, representante da classe bancária, está atento, também, aos que tentam se apropriar desta bandeira apenas com interesse político objetivando, dessa forma, interesses outros que não os dos bancários, não aceitaremos e não fomentaremos tais posicionamentos.


O Sindicato dos Bancários do Ceará atua fortemente junto ao Congresso Nacional nos projetos de lei de interesse dos bancários e entende que as Associações de Funcionários devam sim se associar a luta encabeçada pelo Sindicato dos Bancários, entendemos que embora tenha sido o Sindicato que deflagrou a presente luta a vinda de outras entidades, verdadeiramente representativas, somente ajudará a fortalecer esta bandeira que é de crucial importância para os trabalhadores e do fortalecimento das instituições bancárias.