Em Fortaleza, bancários paralisam agência em repúdio às demissões no Itaú

11


Apesar do lucro líquido de R$ 18,059 bilhões nos primeiros nove meses de 2015, resultado 20,7% superior ao registrado no mesmo período de 2014, o Itaú, segue com a política perversa de demissões. Para repudiar essa postura cruel e denunciar a ganância dos donos do banco Itaú, o Sindicato dos Bancários do Ceará paralisou durante uma hora a agência Major Facundo, em Fortaleza.


Somente na última semana foram executadas pelo Itaú mais de mil demissões no País. Em Fortaleza foram demitidos seis funcionários, que se juntaram aos cerca de 40 já dispensados anteriormente no Estado. O perfil dos demitidos é de trabalhadores com muitos anos de banco.  Bancários denunciam que colegas de cargos superiores estão causando terror dentro do banco, fazendo pressão, destratando os colegas, gerando um clima de desânimo e tristeza.

Dirigentes sindicais denunciam


“Nesse ato repudiamos o que o dono ganancioso do Itaú vem praticando, não só no Ceará, mas em nível de Brasil. São poucos funcionários trabalhando, para atender o número cada vez maior de clientes. O Itaú em vez de contratar, vem reduzindo drasticamente a cada dia seu quadro de funcionários. Vamos continuar denunciando essa prática cruel de demissão de pais e mães de família, em plena véspera de Natal”, disse Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE Itaú.


Alex Citó, diretor do SEEB/CE e funcionário do Itaú, enfatizou “estamos denunciando o massacre psicológico que está acontecendo no Itaú. O slogan “Banco Feito Pra você”, para os funcionários é Banco feito pra pressionar, Banco feito pra demitir, para desestruturar psicologicamente seus funcionários, feito pra explorar seus clientes e usuários, feito pra desrespeitar seus funcionários. Não vamos baixar a cabeça, pois temos dignidade e vamos continuar lutando pelo direito dos colegas, massacrados por esse banco”.


“Hoje o Itaú pra demitir faz o seguinte discurso:  falta de performance. Embora o bancário tenha dado muito lucro para o banco, hoje o Itaú simplesmente nega esse valor e diz que ele não é mais importante. O Itaú prega o terror, o fantasma do terrorismo está dentro das agências do Itaú. Hoje, a instituição promove a responsabilidade social na mídia, mas não para os seus trabalhadores”, denuncia Marcos Francelino, dirigente sindical e funcionário do Itaú.


“Queremos denunciar a ganância, a loucura por lucro do Itaú que, apesar disso, demite funcionários. Se a política de demissões do Itaú continuar, vamos tomar medidas mais drásticas. Os gananciosos banqueiros não respeitam nada, nem ninguém. Para eles o que importa é o cifrão”, denunciou Tomaz de Aquino, diretor do Sindicato e funcionário do BNB


Os bancários do Ceará cobram uma posição do Itaú para solucionar o problema. E se juntam aos demais bancários do País, que promoveram paralisações em repúdio às demissões seguindo orientação da Contraf-CUT, para arrancar um posicionamento do banco.