EM NEGOCIAÇÃO COM O BANCO DIA 25/4, FUNCIONÁRIOS VÃO COBRAR RESPOSTAS PARA DEMANDAS

34


Após envio de ofício à vice-presidência de RH do Santander e carta aberta à presidenta executiva do conglomerado, Ana Botín, o movimento sindical conseguiu arrancar reunião no próximo dia 25 de abril para discutir uma série de problemas que atingem os bancários.


Serão cobradas soluções para os seguintes pontos: pressões e ameaça de demissão contra os bancários que não obtiverem a certificação CPA 10 até maio; unificação de cargos; mudança da bandeira dos vales refeição e alimentação; aumentos abusivos na mensalidade e coparticipação do plano de saúde; retirada das portas giratórias de agências. Essa última questão só não vem acontecendo no Ceará por conta da lei de segurança bancária.


Também serão cobradas explicações sobre o vídeo do presidente, Sérgio Rial, falando sobre abertura de agências nos finais de semana para educação financeira e abertura de agências em shoppings centers; reajustes no valor do reembolso de KM rodado; e problemas enfrentados pelos trabalhadores após afastamento pelo INSS.


Nesta reunião participarão representantes dos trabalhadores em nível nacional. A pauta foi apresentada ao banco duas semanas antes, com argumentos e reivindicações claras. A expectativa dos representantes do funcionalismo é que o banco apresente respostas e encaminhamentos concretos para essas demandas.


“A pauta objeto dessa reunião foi construída com base em reclamações dos trabalhadores do Santander do país inteiro. Esperamos que o banco seja sensível aos proble-mas apresentados e traga soluções o mais breve possível para que os bancários possam trabalhar mais tranquilos. Uma vez que essas demandas têm trazido intranquilidade aos funcionários”
Eugênio Silva, diretor do Sindicato e funcionário do Santander