Em reunião com a Fenaban, bancários pedem efetivação do projeto-piloto no País

15


Cerca de um mês depois do fim da Campanha Nacional 2015, a Contraf –CUT, federações e sindicatos voltaram a se reunir com a Fenaban, no dia 3/12. O encontro foi válido pela comissão bipartite de segurança bancária, direito assegurado pela cláusula 63 da Convenção Coletiva do Trabalho da categoria.


Os banqueiros foram para a mesa de negociação com uma postura surpreendente. “Imaginávamos que íamos continuar de onde paramos no último encontro, antes da campanha, quando estávamos discutindo a ampliação do projeto piloto de segurança bancária para mais duas cidades. Ao invés disso, eles quiseram discutir a renovação do projeto em Recife”, explicou João Rufino do Egito, diretor do Sindicato dos Bancários de Pernambuco.


Os dirigentes lembraram que o projeto-piloto foi avaliado positivamente, por ambas as partes, em Recife. Por isso, não faz sentido continuar nos mesmo moldes. “Queremos a efetivação do projeto em todo o Brasil. Se for para continuarmos como projeto-piloto, ele precisa ser melhorado, com a inclusão de mais itens de segurança”, completou Gustavo Tabatinga, secretário de Políticas Sindicais da Contraf-CUT.


Os representantes dos trabalhadores reafirmaram a necessidade da mesa bipartite avançar nas discussões dos dispositivos de segurança. “Nós não entendemos a insistência dos banqueiros a se recusarem a implementar dispositivos de segurança com a eficácia comprovada, como os biombos, que são de simples instalação e garantem a privacidade no momento das transações bancários, além de prevenir crimes como os chamados ‘saidinhas de banco’”, revelou o secretário de Políticas Sindicais da Contraf-CUT.


O representante da Fenaban disse que precisava consultar os bancos sobre as demandas apresentadas pelos bancários. O próximo encontro será marcado no início de 2016.