Em reunião do Fórum de Saúde, Contraf-CUT cobra fim das metas abusivas

13

A Contraf-CUT, federações e sindicatos cobraram na terça-feira (10/4) o fim das metas abusivas, como forma de combater o assédio moral, prevenir doenças mentais e reduzir o número de afastamentos, durante a retomada em 2012 do Fórum de Saúde e Condições de Trabalho do Santander, em São Paulo. Trata-se de um importante espaço de debates que está previsto na cláusula 22ª do acordo coletivo de trabalho firmado com o banco, aditivo à convenção coletiva dos bancários.


Foi discutida a pauta de saúde dos trabalhadores, entregue no último dia 4/4, onde também constam demandas como a manutenção do convênio médico e odontológico na aposentadoria nas mesmas condições dos funcionários da ativa, o acesso às informações sobre afastamentos por saúde e a melhoria na assistência às vítimas de assaltos e sequestros.

Fim das metas abusivas – A gestão do Santander voltou a ser criticada pelos dirigentes sindicais. Além de estabelecer metas abusivas, que são inatingíveis, o banco utiliza mecanismos de cobrança que ocasionam assédio moral, doenças mentais e adoecimento de trabalhadores. As entidades sindicais defenderam o fim das metas individuais, de modo que fique vedado qualquer tipo de comparação entre os resultados obtidos, seja por agência, região ou ranking, como aliás já determina a cláusula 35ª da convenção coletiva, mas que tem sido descumprida pelo banco, conforme foi denunciado na última reunião do Comitê de Relações Trabalhistas.


Os representantes do banco, que estiveram acompanhados de gestores da área de saúde e medicina do trabalho, alegaram que “as metas são desafiadoras, mas factíveis” e que o assunto deve ser discutido na continuidade da Mesa Temática de Saúde com a Fenaban.


As entidades cobraram também a assinatura de um acordo de venda responsável de produtos e serviços financeiros, a exemplo do protocolo firmado pelo Comitê de Empresa Europeu, formado por representantes do banco espanhol e de entidades sindicais de vários países. O representante do banco pediu cópia do termo firmado.

Convênio médico e odontológico – Os sindicalistas reivindicaram a manutenção dos convênios médicos e odontológicos do banco na aposentadoria e nas mesmas condições dos funcionários da ativa. Outras propostas envolvem a inclusão de pai e mãe como dependentes, a definição de meses fixos nos primeiro e segundo semestres, de cada ano, para solicitações de alterações nos planos existentes e o acesso aos contratos firmados. O banco ficou de agendar uma reunião específica para tratar desse tema.

Melhoria nos procedimentos de RH – As entidades sindicais apontaram a necessidade de melhorias nos procedimentos de RH, destacando que o grupo de trabalho montado no ano passado trouxe avanços, mas que é preciso evoluir, diante da existência de vários problemas administrativos. O banco ficou de agendar uma reunião específica na segunda quinzena de maio, explicando que até lá a nova equipe contratada deverá estar preparada para receber as demandas dos trabalhadores.

Reabilitação – O banco prometeu fazer uma apresentação do Programa de Reabilitação Ocupacional (PRO) na próxima reunião do Fórum de Saúde. Foi lembrado que a reabilitação profissional está prevista na cláusula 43ª da convenção coletiva, mas que não vem sendo implementada pelos bancos.

Assistência às vítimas de assaltos, sequestros e extorsões – Os dirigentes sindicais cobraram atendimento médico e psicológico, de forma presencial, aos empregados em casos de assaltos ou tentativas, bem como às suas famílias por ocasião de sequestros, consumados ou não. Também defenderam a emissão da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) a todos os empregados que estiveram no local do assalto, consumado ou não, bem como aos vitimados por sequestro ou extorsão, ainda que não consumado. O banco disse que emite CAT após laudo médico e ficou de apresentar o atendimento completo que presta às vítimas da violência na próxima reunião do Fórum de Saúde. Os sindicalistas cobraram ainda maior atenção do banco para as reformas de agências, que costumam ocasionar problemas de saúde e segurança.