Empregado denuncia assédio moral na agência de Ipu

41

A Caixa recebeu uma denuncia de assédio moral do empregado Dorivan Florêncio, que foi destituído da sua função de gerente na agência Ipu/CE, pelo gerente geral da unidade.


O principal motivo de sua destituição é que ele não concorda com as fraudes, que são aplicadas no atendimento aos clientes, principalmente ferindo os normativos da Caixa Econômica Federal e do Banco Central.


O empregado Dorivan foi apenado com a perda da função após ter se afastado por licença saúde para tratamento. O gerente geral da agência Ipu retirou-o da função fazendo o comunicado por telefone. Para ocupar um cargo comissionado na Caixa o empregado passa por todo um processo de seleção, que envolve várias etapas, entre elas apresentação curricular, desempenho e entrevistas. O gerente geral da agência Ipu, descumprindo toda a linha ética e de respeito aos trabalhadores, destituiu o empregado como uma forma de retaliação por o mesmo não concordar com suas improbidades.


Os dirigentes do Sindicato estiveram em reunião dia 17/5, com a Superintendência Norte Sul da Caixa, onde foi tratada a questão do afastamento do empregado e do caso que é considerado pelo Sindicato como grave, que é a questão da violação operacional e dos normativos da Caixa.


O empregado já encaminhou via Superintendência e via Gestão de Pessoas um pedido de apuração de assédio moral. O Sindicato também está reafirmando a denúncia e exigindo da Caixa uma imediata apuração, inclusive da questão de transparência e do comportamento do gerente geral. Pedindo o afastamento do gerente geral das suas atribuições, por entender que o mesmo não tem condições de permanecer à frente da agência Ipu, em virtude das várias fraudes cometidas do ponto de vista operacional. Todos os documentos comprobatórios se encontram dentro da Caixa, que tem elementos suficientes para investigar a denúncia ora apresentada.