Empregados da Caixa exigem melhores condições de trabalho

8


     


O Sindicato dos Bancários do Ceará esteve na última quinta-feira, 20/6, em frente ao prédio do Edifício Sede da Caixa Econômica Federal para cobrar do banco melhores condições de trabalho para os empregados. O protesto fez parte do Dia Nacional de Luta que aconteceu em todo o País sob orientação da Contraf-CUT e federações, com o apoio da Fenae.


Os empregados protestaram contra a sobrecarga de trabalho, a pressão das metas abusivas e o assédio moral, e cobraram a contratação de mais trabalhadores, a melhoria das condições de trabalho e atendimento de qualidade para os clientes e a população em geral. A manifestação foi definida durante o 29º Conecef, realizado de 17 a 19/5, em São Paulo.


“Esse é um momento especial. É o momento em que todos os brasileiros saem à rua. É o momento em que a população começa a perceber a força da união. Nós, trabalhadores da Caixa, queremos reivindicar também os nossos direitos, como o mínimo que são condições de trabalho dignas. Nós sabemos o que representa esse banco para o povo brasileiro. E nós também estamos lutando nas ruas para desenvolver esse País, e defendendo a Caixa como um verdadeiro banco público. Nós estamos todos juntos para que o País avance mais ainda do que já avançou. E esse avanço passa também pela melhoria das condições de trabalho na Caixa. Queremos que a Caixa também avance em salários, em mais contratações, em mais segurança, para que seus trabalhadores possam também contribuir para construir um Brasil melhor”, relatou a diretora do Sindicato, Elvira Madeira.


O presidente da APCEF/CE e diretor do Sindicato, Áureo Júnior, explicou à população a pauta de reivindicação dos empregados da Caixa. “Queremos melhorias no plano de saúde, melhores condições de trabalho, mais contratações, abertura de novos postos de atendimento com bancários suficientes para atender à região. É época de transformação e o Sindicato do Ceará não vai ficar de fora dessa onda positiva no País”, disse.


“Nós trabalhadores bancários, empregados da Caixa Econômica Federal, também temos muito o que reivindicar, quem precisa de um atendimento numa agência da Caixa sabe o inferno que isso representa. O cliente não tem segurança, não consegue receber atendimento de forma decente, sempre se depara com agências lotadas, sem condições dignas de trabalho e de atendimento. Esse é um ato de repúdio e de protesto contra esses problemas”, avaliou o diretor do SEEB/CE, Jefferson Tramontini, que lembrou ainda a importância da categoria bancária, assim como toda classe trabalhadora, continuar mobilizada contra o projeto de lei 4330/04, do deputado Sandro Mabel (PMDB/GO) que legitima a terceirização no Brasil.


O presidente da APCEF/CE, Áureo Júnior, finalizou afirmando que a pauta de reivindicações dos empregados da Caixa e dos bancários está ligada à pauta dos trabalhadores e da sociedade em geral. “Há anos o movimento sindical luta por mais saúde, mais educação, qualidade de vida, melhores condições de trabalho. É preciso partilhar as riquezas desse País. A luta dos bancários que passa por melhores salários, por uma melhor qualidade de atendimento, por mais saúde, por um banco que satisfaça o povo brasileiro e suas necessidades, essa luta é a de todo o nosso povo”, concluiu.