Empregados denunciam precárias condições de trabalho na Bezerra de Meneses

54

Mesmo com um lucro de R$ 777,574 milhões no primeiro trimestre deste ano, a Caixa Econômica Federal ainda submete seus empregados a total falta de condições de trabalho. Na agência da Bezerra de Meneses, por exemplo, os empregados pedem socorro urgente para o problema da falta de ar condicionado naquela agência. Um andar inteiro, onde funcionam duas gerências de relacionamento, a gerência de habitação, gerência de pessoas físicas e de pessoas jurídicas, além do penhor, fica durante todo o dia sem ventilação.


As janelas, que poderiam arrefecer o clima, estão fechadas, lacradas por medidas de segurança. O clima quente tem causado sérios problemas à saúde dos empregados, inclusive uma prestadora de serviço grávida solicitou antecipação da licença maternidade e outros têm se afastado por falta de condições de trabalho.


Os funcionários improvisaram alguns ventiladores, trazidos de casa mesmo, mas são insuficientes para diminuir o enorme calor do ambiente. Há três semanas a central de ar está totalmente desligada. Várias reclamações foram feitas à Superintendência, mas sem solução.


O Sindicato dos Bancários entrou com pedido junto à direção exigindo uma solução urgente para o caso. A gerência de manutenção da Caixa, até o fechamento desta edição, estava resolvendo a instalação de aparelhos de ar condicionado, em substituição à central de ar. O presidente do Sindicato, Marcos Saraiva visitou a agência, ouviu os funcionários e pediu à direção solução urgente para o problema. “Se for preciso, o Sindicato vai acionar a DRT e denunciar essas condições precárias de trabalho. E, se não houver outra saída, vamos partir para medidas mais radicais”, disse.