Empregados do Ceará discutem PCS

38

Valorizar o empregado. Esse foi o principal ponto discutido no seminário realizado na última quinta-feira, dia 24/1, com os empregados da Caixa Econômica Federal no Ceará para discutir o novo Plano de Cargos e Salários (PCS). Divididos em grupos de acordo com seus segmentos dentro do banco, os empregados apresentaram suas sugestões para o novo plano, bem como ouviram experiências adotadas nos outros bancos federais (BB e BNB). Um novo encontro deve ocorrer na segunda quinzena de fevereiro, ainda sem local definido.


“O importante nesse momento inicial é ouvir os anseios dos trabalhadores. Essa é uma grande conquista junto a Caixa, de discutir e negociar um novo PCS. É fundamental esse debate com a classe trabalhadora para que se possa subsidiar os trabalhos da Comissão de Empresa nas negociações permanentes com o banco e assim, podermos construir um plano justo para todos”, ressaltou o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Marcos Saraiva.


O presidente da APCEF/CE, Laércio Alencar, enfatizou a importância de se incentivar os novos empregados a permanecerem no banco. “É importante valorizar o novo empregado porque ele é o futuro da Caixa. Temos que buscar resolver isso com o novo PCS, pois os novos passam pouco tempo no banco, porque não são incentivados a ficar”, disse.


A diretora do Sindicato e funcionária do BNB, Carmen Araújo falou sobre a experiência da construção do plano dos benebeanos. “Realizamos oficinas, foi criado um grupo de trabalho paritário e nós discutimos basicamente a parte conceitual. No final, não construímos o plano ideal, mas o que foi possível conquistarmos, por isso estamos reivindicando a sua revisão junto ao banco, com piso calculado pelo piso do Dieese”, esclareceu. Ela completa: “ser bancário hoje não é mais atrativo. Outras instituições públicas estão oferecendo salários de ingresso muito maior e o banco acaba sendo apenas um trampolim para outros empregos e nós precisamos mudar isso”, alertou.


Já o diretor Carlos Eduardo, funcionário do Banco do Brasil, falou sobre o plano do banco. “Estamos negociando com o BB mudanças no nosso plano. Hoje as promoções são só por antiguidade e a proposta do banco é oferecer também a promoção por mérito. No entanto, as entidades têm algumas críticas a proposta do banco porque ela apresenta algumas distorções”, esclareceu.


Ao final, os empregados apresentaram suas propostas para os diversos segmentos do banco. A íntegra das propostas em breve estará disponível no site do Sindicato: www.bancariosce.org.br


“Essa é uma oportunidade ímpar para os empregados da Caixa e é importante que cada um que participou seja um multiplicador em suas unidades, buscando sugestões dos colegas e trazendo essas sugestões para os fóruns de discussão”, finalizou Marcos Saraiva.

PRINCIPAIS PROPOSTAS APRESENTADAS NO SEMINÁRIO


• Piso salarial de R$ 1.606,00

• Interstício de 4%

• Incentivo a formação educacional dos empregados

• Jornada de seis horas sem redução salarial

• Remuneração de acordo com o risco da função

• Encarreiramento das funções: junior, sênior e pleno