Empregados se reúnem com direção do banco no dia 24

16


A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), que representa a Contraf-CUT nas negociações com o banco, se reúne com a direção da Caixa no próximo dia 24/4, em Brasília. Os principais assuntos da pauta são o Programa de Desligamento do Empregado (PDE) e falta de empregados, a verticalização e descomissionamento arbitrário, a qualidade do atendimento do Saúde Caixa, as baixas condições de trabalho, adoecimento e suicídios e a busca por uma solução do Contencioso da Funcef.


A Caixa Econômica Federal anunciou no dia 22 de fevereiro mais uma etapa do Programa de Desligamento de Empregados (PDE). Com a justificativa de reduzir custos e melhorar o capital financeiro, a instituição precariza as condições de trabalho de seus empregados, já que pretende desligar 2.964 pessoas sem reposição.  Este PDE é parte de um processo de desmonte dos bancos públicos combinado com outras medidas que estão sendo articuladas para reduzir sua atuação.


DESCOMISSIONAMENTO – A CEE/Caixa enviou um ofício à direção da Caixa, em janeiro, para cobrar o fim da exigência da Certificação Profissional Anbima – Série 20 (CPA-20) para empregados que queiram ocupar cargo de gerente de relacionamento. A Caixa se comprometeu a sempre discutir previamente com os empregados as alterações na vida funcional dos empregados, por meio da mesa de negociação permanente.


CONTENCIOSO – A Contraf-CUT cobra em caráter de urgência a formação de um Grupo de Trabalho (GT), entre patrocinadora (Caixa) e participantes (Contraf-CUT), para discutir, de forma transparente, uma solução para o contencioso judicial, que impacta diretamente nos resultados da Funcef. As notas explicativas dos balanços da Funcef mostram que o montante apurado como contencioso possível saltou de R$7,2 milhões para R$ 12,7 bilhões, uma alta de 76% no período.


SAÚDE CAIXA – A Contraf-CUT enviou no dia 20 março um ofício à Caixa exigindo o cumprimento da cláusula do Acordo, que assegura a assistência médica, hospitalar, odontológica, psicológica, fonoaudiológica, fisioterápica, de serviços sociais e medicina alternativa reconhecidos pelo Ministério da Saúde, aos seus empregados e respectivos dependentes.


RH151 – No dia 28/2, o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, deferiu liminar requerida pela Contraf-CUT, determinando a imediata suspensão dos efeitos da revogação do RH 151 pela Caixa Econômica Federal. Dessa forma, de acordo com a liminar, a Caixa deverá aplicar o normativo interno, procedendo a incorporação da gratificação de função para os empregados, quando houver dispensa da função sem justo motivo. A RH151 prevê a incorporação da gratificação, quando: a) a dispensa da função gratificada/cargo comissionado efetivo/função comissionada, por interesse da administração (sem justo motivo); b) o exercício da respectiva função por período maior ou igual a 10 anos.


“Estamos atentos às denúncias dos empregados da Caixa sobre perdas e retirada de conquistas. Na mesa de negociação continuaremos cobrando respeito aos trabalhadores e aos seus direitos assegurados, principalmente, no Acordo Coletivo”
Marcos Saraiva, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará e da Fenae