Encontro dos funcionários do Itaú aprova pauta específica de reivindicações

32


O Encontro Nacional dos Funcionários do Itaú, realizado pela Contraf-CUT  entre os dias 2 e 4/4, em São Paulo,  teve como objetivo construir a pauta específica de reivindicações que será entregue dentro de 15 dias para a direção do Itaú. O evento reuniu 160 dirigentes de federações e sindicatos de todo o País. Representando o Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE), estiveram presentes os diretores Ribamar Pacheco, Marcos Francelino e Moacir Melo.


“Vamos lançar uma campanha nacional pelo fim das demissões e da rotatividade, pela defesa do emprego e pela valorização dos funcionários”, destaca o funcionário do Itaú e presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro. “Também vamos lutar por previdência complementar para todos os funcionários”, completa.


Com o objetivo de monitorar as demissões, a Contraf-CUT irá disponibilizar uma planilha eletrônica aos sindicatos para registrar as homologações em cada entidade, a fim de viabilizar um monitoramento nacional. “Toda vez que houver um determinado número mensal de demissões, vamos paralisar o banco”, avisa Cordeiro.


Também foi aprovada a realização de um seminário nacional sobre remuneração, com o objetivo de elaborar uma proposta de plano de cargos e salários para ser negociada com o Itaú.


“Vamos intensificar a mobilização dos trabalhadores, aumentando a pressão sobre o Itaú, para que possamos garantir conquistas nas negociações específicas com o banco”, ressalta o dirigente da Contraf-CUT.


Ousadia, unidade nacional e mobilização – “Precisamos ter ousadia, unidade nacional e mobilização, pois o banco tem clara estratégia de diminuir custos sacrificando o emprego. Só com muita mobilização vamos garantir emprego digno, de qualidade, em que as pessoas não adoeçam, não morram, enfim emprego decente”, enfatiza o diretor do SEEB/CE e representante da Fetrafi-NE na COE Itaú, Ribamar Pacheco.


“Temos que assumir o desafio de transformar o crescimento econômico em desenvolvimento com distribuição de renda, com o objetivo de termos justiça social para todos. Basta de agiotagem financeira praticada pelos banqueiros. Para isso, temos que lutar contra as demissões e a rotatividade, a fim de conquistar mais e melhores empregos”, completa Ribamar. Será lançada uma campanha nacional em defesa do emprego e melhores condições de trabalho, cuja agenda e ações serão publicadas em breve.


Moção de repúdio – Ao final do Encontro Nacional, os participantes aprovaram ainda uma moção de repúdio ao deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), exigindo a saída imediata do parlamentar da presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.