Encontro dos privados aponta para novas conquistas

69

Durante a Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, os funcionários de bancos privados como HSBC, Unibanco, ABN/Real e Itaú, reuniram-se em encontros específicos e foram unânimes em aprovar a Campanha Salarial unificada com mesas específicas concomitantes. Foram aprovadas ainda a luta por uma PLR maior e o aumento real dos salários, combate ao assédio moral e às metas abusivas e a busca de novas conquistas, como 14° salário, 13ª Cesta-alimentação, entre outros.

Durante os Encontros, os funcionários elencaram as principais reivindicações por banco a serem debatidas durante a Campanha 2006. Confira os temas:

HSBC – Os trabalhadores querem a isonomia do Plano de Cargos e Salários; mais contratações; apresentação dos programas da nova base tecnológica que está sendo desenvolvida e será implementada até dezembro deste ano e do programa de avaliação de desempenho (CDP); segurança bancária; Plano odontológico; equiparação da cesta-alimentação para os bancários com jornada especial (part-time) e enquadramento dos funcionários da Losango e dos vendedores das agências como bancários.

ABN/Real – Os temas mais debatidos foram salários, os projetos Arte e 2 x 1 e o ponto eletrônico para gerentes. Os bancários querem o fim do projeto 2 x 1 e melhorias no projeto Arte. Na questão salarial, os funcionários querem o realinhamento de supervisores de operação, subgerentes e gerentes de relacionamento, com a definição de um valor mínimo para cada função. Outro item que deverá constar na pauta de reivindicações específicas do ABN/Real é a instalação do ponto eletrônico para gerentes, além de segurança bancária; plano de saúde; melhores condições de trabalho e isonomia para os trabalhadores afastados.

Unibanco – Além das negociações unificadas na Fenaban, os funcionários do Unibanco querem melhorias na remuneração variável, o fim do banco de horas e mais segurança nas agências. Os bancários do Unibanco também querem auxílio-educação, enquadramento sindical do ramo e o fim do banco de horas. Eles apontaram ainda reivindicações para toda a categoria. Entre as principais preocupações está a saúde do trabalhador, com o fim do assédio moral e das metas para diminuir as doenças ocupacionais.

Itaú – Os funcionários do Itaú elegeram oito pontos principais: programa Agir, novas contratações, plano de saúde, previdência complementar, enquadramento sindical, realinhamento salarial, auxílio-educação e luta pelo 14º salário. Durante o encontro foram feitas apresentações sobre o plano de saúde e de previdência complementar das fundações do Itaú, Fundação Itaubanco e Funbep, além da Participação nos Lucros e Resultados dos funcionários.