Encontro Nacional de Bancos Privados contribui com organização da luta dos bancários

11


Trabalhadores dos maiores bancos privados, reunidos em São Paulo no período de 6 a 8/6, refletiram sobre questões nacionais que atingem toda a classe, inclusive as específicas de cada banco, e se preparam para a luta e resistência.

 


Bradesco: Emprego e Saúde são as prioridades para os funcionários


Emprego e Saúde são as prioridades dos funcionários do Bradesco para a Campanha Nacional 2017. A decisão foi tomada na plenária final do encontro nacional dos trabalhadores do banco, realizado no dia 8/6, em São Paulo.


Gheorge Vitti, coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Bradesco, exaltou a importância da realização do evento. “Aqui, conseguimos reunir pessoas de todas as regiões do país para aprofundamento de debates, como o emprego, reformas golpistas e momento político a fim de construir propostas de mobilização e luta para o enfretamento colocado”, disse.


“Saímos unidos na busca de soluções para os grandes problemas colocados na pauta da classe trabalhadora, sejam ele da ordem política ou da ordem social e econômica. Só a luta nos garante, nenhum direito a menos, nenhum passo atrás!”, finalizou Vitti.


ASSOCIAÇÃO BRASIL – Antes da plenária final, houve uma apresentação da Associação Brasil, instituição de lazer dos funcionários do HSBC. “Vimos mostrar nossos mais de 20 clubes no país e pedir apoio na luta para que os novos associados paguem os mesmos valores de mensalidades que os antigos associados. Juntos seremos mais fortes e construiremos um clube cada vez melhor”, explicou o diretor da Contraf-CUT, Sérgio Siqueira.



Itaú finaliza debates e aprova Moção Contra a Reforma Trabalhista


Os grupos de trabalho dos funcionários do Banco Itaú-Unibanco finalizaram dia 8/6, os debates realizados durante o Encontro Nacional dos Funcionários dos Bancos Privados, em São Paulo, e apresentou o relatório final com novas propostas dos trabalhadores sobre emprego, saúde, condições de trabalho e os impactos das novas tecnologias.


O GT de novas tecnologias reivindicara o livre acesso nacional dos dirigentes sindicais; a revisão das metas nas agências, que tiveram os seus clientes migrados para agências digitais; a pontuação para funcionários das agências físicas de lotação dos clientes; e a obtenção do perfil do banco e dos bancários para que seja possível avançar nas negociações nacionais vigentes. Cobrou a autorização pelo cliente sobre as transferências de contas para a plataforma digital, não mais com migração automática.


Uma Moção de Repúdio Contra a Reforma Trabalhista foi aprovada por unanimidade em repúdio ao desmonte do escopo jurídico, conquistado durante muitos anos pela classe trabalhadora.

Os candidatos à eleição para a Fundação do Itáu-Unibanco foram apresentados durante o Encontro Nacional dos Bancos Privados. Das dez federações existentes na Contraf-CUT, nove estavam representadas no encontro.

 


CCB Brasil: Trabalhadores defendem criação da COE


Trabalhadores do Banco CCB Brasil (antigo BIC), estiveram reunidos durante o Encontro Nacional dos Funcionários dos Bancos Privados, realizado dias 7 e 8/6, para encaminhar as estratégias da Campanha Nacional dos Bancários 2017.


O grupo traçou estratégias para reivindicar melhorias nas áreas de saúde, segurança, condições de trabalho, como o fim das metas abusivas e abordaram o uso das novas tecnologias no intuito de o banco se adequar às exigências do mercado e, desta forma, ampliar os postos de trabalho.


Para o coordenador do grupo, Luiz Roberto Félix, Bebeto, dirigente do Sindicato dos Bancários do Ceará, a criação da Comissão de Organização os Empregados (COE) foi a principal deliberação da reunião do CCB Brasil. “É imprescindível criarmos uma negociação permanente entre empregados e empregadores, com dirigentes eleitos nas agências de suas bases”, informou.


O dirigente avalia que o Encontro Nacional dos Funcionários de Bancos Privados vai possibilitar uma organização de enfrentamento contra as dificuldades impostas pelos bancos e também pelo governo golpista de Michel Temer. “Com muita luta e união vamos conseguir manter e ampliar nossas conquistas”, concluiu Bebeto.



Santander: Encontro Nacional aprova plano de lutas específico


Os bancários do Santander concluíram no dia 8/6, em São Paulo, o Encontro Nacional dos Funcionários do banco. “Preparamos um plano de lutas contra as reformas trabalhista e da Previdência e para minimizar os impactos da terceirização e da reestruturação do banco e uso de novas tecnologias sobre o emprego e as relações de trabalho e conseguimos ir além, ao levantarmos questões específicas para tratarmos com o banco no próximo CRT (Comitê de Relações Trabalhistas)”, afirmou Maria Rosani, coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander.


Neste mês terão prioridade as ações contra as reformas e pela retomada da democracia no país. “Não chamaremos, neste momento, nenhuma reunião específica com o banco. A conjuntura nos impõe lutarmos pelo ‘Fora Temer’ e sua substituição por meio de eleições diretas. Ao realizarmos estas lutas, estaremos, também lutando contra a redução de empregos e de diretos e contra a precarização das condições de trabalho”, explicou a coordenadora da COE do Santander.


Entre as ações que constam no plano de lutas aprovado pelos bancários do Santander foram definidas reuniões nos locais de trabalho para esclarecer sobre os principais impactos da reforma trabalhista e convocar a todos os trabalhadores para aderir e ajudar a construir à maior greve da história do país, inclusive convocando a participação dos familiares dos bancários.