ENCONTRO NACIONAL DE SAÚDE DEBATE CASSI, AUTOGESTÃO E ATENÇÃO PRIMÁRIA

10


Os funcionários do Banco do Brasil estiveram reunidos no dia 28/9 durante o Encontro Nacional de Saúde dos Funcionários do Banco do Brasil, que aconteceu em São Paulo. Durante o evento, o funcionalismo debateu a situação da Cassi, autogestão e a atenção primária de saúde.


Os participantes abordaram a participação do funcionalismo do BB na estratégia de atuação do plano de saúde, na gestão de longo prazo e no modelo de atendimento, que pode levar em conta a questão preventiva.


A autogestão é imbatível no termo de custo e de qualidade. Pelas regras do mercado, quanto mais idosa a pessoa, maior o custo. Na autogestão, não há isso. Não há nada que obrigue um plano de autogestão a cobrar dos participantes de acordo com a faixa etária.


CASSI – A última mesa do Encontro Nacional de Saúde dos Funcionários do BB trouxe o histórico a situação atual da Cassi para a pauta de debates. Desde 2014 já havia um déficit na Cassi, que ficava oculto devido à contribuição do banco sobre o benefício temporário dos funcionários. Mas desde essa época, as entidades representativas dos funcionários já apontavam a necessidade de haver uma negociação com o banco sobre a Cassi, o que a Contraf continua insistindo em compor agora.


Inicialmente, o banco apresentou uma proposta e todas as entidades defenderam sua rejeição. Em votação, os associados rejeitaram a proposta e, imediatamente as entidades solicitaram que o banco retomasse a mesa de negociações. Chegou-se à segunda proposta, que o banco considera ser a definitiva. Esta proposta, em maio, apesar de obter a maioria dos votos, não obteve o quórum mínimo de associados exigido pelo estatuto da Cassi.


O encontro foi deliberado pelo 30º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil.