Encontros no Interior mobilizam bancários para a Campanha Nacional

63

Bancários de todo o Ceará se reúnem neste sábado, dia 30/6, quando será realizado o Encontro Estadual dos Bancários. O evento acontece das 9h às 14h, no Hotel Praia Centro (Av. Monsenhor Tabosa, 740 – Praia de Iracema) e vai debater, entre outros temas de interesse da categoria, a Campanha Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, isonomia e a escolha de delegados para o Encontro Regional da FETEC/NE.


No sábado, dia 23/6, foram realizados os Encontros Regionais, com o objetivo de coletar subsídios a partir da base do Interior para que o Sindicato possa debater e construir a pauta de reivindicações dos bancários cearenses no Encontro do dia 30, em Fortaleza.


Durante a semana passada, os diretores do Sindicato dos Bancários do Ceará visitaram o Interior, que foi dividido em oito regiões: Ibiapaba, Camocim, Sertão Central, Inhamuns, Cariri, Itapipoca, Vale do Jaguaribe e Vale do Salgado (Icó). O Sindicato visitou todas as unidades bancárias dessas regiões, fazendo a convocação e enfatizando a importância da participação de todos na construção da Campanha Nacional.


Uma das principais queixas dos bancários é contra a pressão por metas, geralmente abusivas, acarretando, conseqüentemente, na prática de assédio moral. Entre as outras reivindicações dos bancários destacam-se: democratização do processo da campanha nacional nas regiões do Estado; mesa unificada com valorização das mesas específicas; valorização dos delegados sindicais; índice de ganho real que traga recuperação salarial; avanço na PLR; defesa dos bancos públicos junto à sociedade; fim das metas abusivas, entre outras.


Para o diretor do Sindicato, Telmo Nunes, as visitas foram de relevante importância por dar oportunidade aos bancários lotados no Interior de poderem participar com sugestões na construção da Campanha Nacional. “Essa é uma reivindicação histórica dos bancários do Interior de estar presente também nas decisões do Sindicato relativas aos rumos a serem traçados por melhores condições de trabalho e de salários”, afirmou.