Entidades apontam soluções de caráter emergencial para Cassi

13


Em negociação com o Banco do Brasil no dia 4/9, em São Paulo, as entidades representativas dos funcionários voltaram a discutir propostas de caráter emergencial que possam ter impacto no fechamento das contas da Cassi em 2015.


As entidades cobraram do banco que faça a antecipação das futuras contribuições sobre o saldo do BET (Benefício Especial Temporário) para reforçar um pouco mais o caixa da Cassi até o final do ano, de forma a evitar situações que envolvam falta de atendimento em alguns locais. Esta antecipação de contribuição sobre o saldo do BET não onera em nada os funcionários, uma vez que os valores já seriam descontados quando os funcionários se aposentarem.


Os representantes dos funcionários apresentaram uma lista de remunerações pagas pelo banco que não tem nenhuma contribuição para a Cassi, como os bônus dos executivos, o PDG e as indenizações do PAET. O Banco afirma que tem dificuldade na proposta, que valores seriam muito pequenos, mas que vai fazer a análise.


Os representantes dos funcionários reafirmam a proposta apresentada ao Banco do Brasil pelos representantes dos eleitos pelo Corpo Social na Cassi, referendada pela comissão negociadora das entidades e pelos trabalhadores no 26º Congresso Nacional dos Funcionários do BB:dois aportes, de 300 milhões de reais, sendo um em 2015 e outro em 2016, para cobertura; dos déficits até início do projeto piloto de ampliação da Estratégia Saúde da Família e implantação das medidas estruturantes; aporte extraordinário de 150 milhões para implantação do projeto piloto.


A mesa de negociação específica que discute a sustentabilidade da Cassi terá continuidade uma nova reunião, que deve ser agendada nos próximos dias.