Entidades apresentam ao BB propostas para garantir o bom funcionamento da Cassi

21


Em reunião realizada no dia 3/12, as entidades representativas dos funcionários e aposentados apresentaram ao Banco do Brasil propostas e premissas para continuidade das negociações na mesa da Cassi. Os funcionários cobraram resposta do Banco do Brasil sobre a possibilidade de o banco fazer investimentos nos projetos em desenvolvimento na Cassi, que contemplam as propostas já apresentadas sobre ampliação do modelo de atenção integral à saúde.


Também foi cobrado do BB a validação e conclusão da parte do projeto feito na Cassi que dependia das áreas de indicados do banco. Na ocasião, as entidades representativas dos funcionários e aposentados apresentaram propostas e premissas para dar continuidade às negociações na mesa da Cassi.


O BB informou que estudou os investimentos e os projetos, e afirmou que é possível dar respostas na próxima reunião, já está agendada para o dia 21 de dezembro, na sede do BB, em Brasília. O BB informou, ainda, que a antecipação de contribuições, embora estatutária, é cercada de vários fatores, incluindo os contábeis que apresentam questões delicadas. Mas ainda assim, fará os estudos necessários para dar uma resposta às propostas apresentadas.


A negociação com o BB sobre Cassi entra agora numa nova fase, em que as propostas apresentadas precisam ser amplamente debatidas com todos os funcionários ativos, aposentados e pensionistas. É importante, a unidade do funcionalismo em busca de soluções concretas para a Cassi, que garanta o bom atendimento para qualquer associado. As entidades informaram ao banco que continuam debatendo propostas adicionais e que serão apresentadas nas próximas reuniões.

Propostas dos funcionários


•    A antecipação de contribuições patronais futuras de 06 (seis) meses, conforme Art. 25 do Estatuto da Cassi que diz que eventuais insuficiências financeiras do Plano de Associados da Cassi poderão ser cobertas pelo Banco do Brasil S.A. exclusivamente sob a forma de adiantamento de contribuições;


•    Manutenção das atuais coberturas do Plano de Associados para todos os participantes (ativos, aposentados, pensionistas e dependentes);


•    Aperfeiçoamento e integração dos modelos e processos de negociação e regulação;


•    Garantia de acesso ao Modelo de Atenção Integral à Saúde com a Estratégia Saúde da Família para todos os participantes do Plano de Associados;


•    Investimento de R$ 150 milhões, exclusivamente pelo BB, para viabilizar os projetos-piloto de expansão do Programa de Estratégia Saúde da Família;


•    Garantia estatutária da proporcionalidade contributiva de 1 (participante)  x  1,5 (BB);


•    Debate sobre o custeio da Cassi que contemple a capacidade de pagamento de despesas e a recomposição de reservas;


•    Manutenção da solidariedade como regime de custeio;


•    Garantia estatutária de reavaliação periódica do custeio;


•    Manutenção do compartilhamento da gestão;


•    Compartilhamento da responsabilidade pelos eventuais déficits, na proporção das contribuições de participantes e BB.

Serviço:

O Boletim Prestando Contas Cassi  nº 17, criado pelos Conselheiros Eleitos da Cassi, está disponível em PDF na seção Publicações do site www.contrafcut.org.br,  para quem quiser consultar, assim como os demais números do Boletim.