Entidades propõem alternativas e reajuste parcelado

25

A Comissão Nacional e a Associação dos Funcionários do BNB (AFBNB) estão encaminhando um documento às direções da Camed e do Banco contendo medidas emergenciais para saneamento do Plano de Saúde dos funcionários. Dentre elas, a principal é o pedido para que o reajuste previsto para ser implantado já na folha de julho seja feito de forma parcelada para minimizar o impacto no orçamento dos funcionários e associados e ganhar tempo para observar a repercussão das demais medidas propostas pelo documento no plano.

Dentre as alternativas propostas para a redução de custos com menor impacto para os associados estão a opção de custear os planos em apartamentos ou em enfermarias, como forma de baratear o plano, que o banco contribua paritariamente com o dependente família, considerando que até alguns anos atrás ele também fazia parte do plano Natural, que o banco eleve a sua proporcionalidade da contribuição de 1 para 1,5%, como acontece no plano de saúde dos funcionários do Banco do Brasil (Cassi). O documento sugere também que a Camed mantenha uma farmácia para venda exclusiva de medicamentos a preço de custo, com venda à vista.

As entidades funcionais devem ainda discutir com os sindicatos o repasse de uma parcela dos passivos trabalhistas em negociação a ser destinado à Camed para um fundo específico com participação do banco na mesma proporção. Além disso, garantir aportes extras paritários, por ocasião do recebimento de verbas ou benefícios tais como abono, PLR etc, que seriam discutidos no Acordo Salarial.