Entidades sindicais cobram audiência com o governo

7


Em ofícios enviados dia 9/2 à presidenta Dilma Rousseff e ao ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, a Contraf-CUT, a Fenae e centrais sindicais cobraram a realização da audiência solicitada no final do ano passado. O objetivo da reunião é pedir esclarecimentos sobre as notícias veiculadas pela imprensa de que o governo federal pretende abrir o capital da Caixa Econômica Federal. Assim como os que foram protocolados no dia 23 de dezembro, os documentos foram assinados pela Contraf-CUT, Fenae, CUT, CTB, Intersindical, CSP-Conlutas.


Até o momento não há nada oficial do Planalto. Os empregados querem esclarecimentos o quanto antes, pois o clima de apreensão na categoria é cada dia maior.


Dia Nacional de Luta – O próximo 27 de fevereiro será histórico. É quando vai ocorrer o Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa 100% Pública. O objetivo é mobilizar os mais de 100 mil empregados, as entidades representativas da categoria e toda a sociedade. Dez mil cartazes com a frase “Eu defendo a Caixa 100% pública” já estão sendo enviados para as mais de 4 mil unidades do banco. A ideia é utilizar os cartazes em uma grande ação nas agências e em fotos a serem postadas nas redes sociais com a #acaixaédopovo para reforçar a posição dos empregados contra qualquer tentativa de abertura de capital da empresa.


Essa será a terceira ação em defesa da Caixa realizada pelo Sindicato dos Bancários do Ceará. Em janeiro, a entidade realizou um dia de luta na data do aniversário de 154 anos da CEF, no dia 12/1 e no dia 22/1 houve o seminário “Caixa 100% Pública: os impactos da abertura de capital da Caixa para os trabalhadores e para a sociedade”.


Miriam Belchior na presidência – O Palácio do Planalto anunciou que Miriam Belchior vai assumir a presidência da Caixa Econômica Federal. A posse, de acordo com a nota emitida, ocorre no dia 23 de fevereiro. Segundo o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, o movimento sindical e associativo dos empregados da Caixa está em alerta. “A ex-ministra do Planejamento assume o cargo em um momento de tensão, pois muito se fala sobre uma suposta proposta de abrir o capital do banco. A Caixa é do povo e deve permanecer 100% pública. Vamos nos mobilizar em todo o País para barrar qualquer iniciativa que vá contra isso”, destaca.


“É importante que toda a sociedade se envolva nesse debate, pois a Caixa é um patrimônio dos brasileiros. É fundamental que a empresa continue 100% pública e com esse forte papel social, atuando todos os dias para melhorar a vida das pessoas. Não podemos permitir medidas que prejudiquem esse patrimônio do povo”
Marcos Saraiva, diretor da Fenae e do Sindicato dos Bancários do Ceará