Estudo mostra distorções na gestão da Camed com prejuízo para funcionários

28

    

A situação financeira da Caixa de Assistência dos Funcionários do BNB (Camed) foi tema de exposição no auditório do Sindicato dos Bancários do Ceará pelo coordenador da Comissão Paritária BNB/CNBFNB, Francisco Marcelo Teixeira Luz. A comissão composta por dois representantes da CNFBNB/Contraf-CUT e dois do BNB, realizou estudo sobre a situação da caixa no período de 2004 a 2009 e constatou distorções no funcionamento do plano de mercado (Camed Vida) com prejuízo para os planos Natural e Família (Camed Saúde).


O Estudo revela que, enquanto a Camed Vida, que tem um número muito maior de beneficiários, arca com 47% das despesas administrativas da caixa, a Camed Saúde paga a parte maior da conta, 53% do total.


O estudo também chamou a atenção para a inadequação dos critérios de classificação e análise das questões financeiras relacionadas com a Camed Saúde, levando à conclusão de que a situação dos planos de auto-gestão é bem mais grave do que é realmente, provavelmente com o objetivo de justificar o aumento de contribuição para os associados.


A análise da Comissão leva a um questionamento sobre a validade ou não da existência do plano de Mercado, pois uma das metas desse plano seria gerar receitas para, inclusive, fortalecer os planos Natural e Família. Na verdade, o estudo sinaliza para um quadro inverso, onde os associados dos planos de auto-gestão estão sendo penalizados por desvios e disfunção do Camed Vida.


Após a apresentação do diagnóstico, o coordenador da comissão expôs algumas propostas, tais como: o levantamento dos associados não assistidos por inadimplência e retomada do atendimento pelo plano; a recriação de um fundo para cobertura de tratamentos não enquadráveis, quando os beneficiários não tiverem condições de custear as despesas; a redefinição das metas de lucratividade da Camed Saúde e da Camed Vida; o estabelecimento de novos e eficientes canais de comunicação com os associados, inclusive reativando o Regulamento Geral de Auxílios e intensificação dos programas de prevenção, com definição da relação custo/benefício.


O relatório da Comissão CNFBNB/BNB será oficialmente entregue à Direção do Banco e à Comissão Nacional para discussão e implementação no âmbito do Acordo Coletivo de Trabalho.