Ex-becista é reintegrado ao quadro de funcionários do Bradesco

32

“É como se eu tivesse recuperado a dignidade, porque um homem sem trabalho é complicado”. A afirmação de José Airton Alves reflete a sensação do bancário depois de sua reintegração ao quadro de funcionários do Bradesco no último dia 9/10. Demitido sem justa causa pelo banco no final de 2006, José Airton é mais um ex-becista perseguido que teve o emprego de volta após uma longa batalha judicial entre o Sindicato dos Bancários do Ceará e a instituição financeira, com resultado favorável para a primeira entidade.


No total, foram 23 anos de emprego entre o antigo BEC (Banco do Estado do Ceará) e o Bradesco, até que a compra do segundo banco pelo primeiro trouxe péssimas consequências profissionais para o bancário. Depois, foram quase três anos de muita angústia enquanto o processo tramitava na 11ª Vara do Trabalho de Fortaleza. Em 13/6/7, a juíza Ivânia Araújo proferiu sentença de reintegração, mas o Bradesco recorreu no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), adiando o retorno de José Airton.


Mesmo com a manutenção da decisão, o banco voltou a recorrer, dessa vez no TST (Tribunal Superior do Trabalho). No entanto, por defeito técnico na peça de recurso do Bradesco, o recurso de revista não foi apreciado. “Dessa forma, transitou em julgado a decisão de 1º grau, razão pela qual o juiz mandou reintegrar definitivamente o bancário, não cabendo mais recurso para o Bradesco”, explicou o advogado do SEEB/CE, Vianey Martins.


Durante o período fora da profissão, a qual exerce desde os 22 anos, José Airton, entretanto, não parou. “Tive que rebolar para manter a família”, revela. Ele optou por concluir a faculdade de gestão financeira e montou ainda uma confecção ao lado da esposa. Com a decisão judicial positiva, o ex-escriturário, ex-caixa e ex-gerente adiministrativo, dentre várias outras funções que exerceu como bancário, retornou ao local de onde nunca deveria ter saído.


Atualmente trabalhando no Bradesco dos Peixinhos, José Airton está auxiliando os colegas de profissão nas tarefas do dia-a-dia e mostra-se esperançoso com o futuro no banco, principalmente depois da ótima recepção que teve. “Tenho certeza de que posso contribuir muito para o engrandecimento do Bradesco e do País”, declara.