Explosões de agências em 2013 correspondem ao dobro de 2012

16


Em seu levantamento, realizado mês a mês através de notícias publicadas pela imprensa local, o Sindicato registrou em 2013 um total de 139 ataques a bancos. Destes, a maioria absoluta foi arrombamentos, o que inclui as explosões realizadas pelo Interior.


Durante todo o ano de 2013, foram contabilizados 53 arrombamentos e 20 tentativas, totalizando 73 ações nesse sentido. Destas, 40 foram explosões, muitas danificando todo o prédio e fechando a agência para atendimento, resultando em grande prejuízo para a população.


Para comparar, em 2012 foram 31 arrombamentos e 12 tentativas, totalizando 43, incluindo-se as 20 explosões registradas durante o ano. O número total de 2012 é menor que os arrombamentos consumados no ano de 2013.


As ações têm roteiro cinematográfico, mas de tão rotineiras, já se tornaram um filme repetido. As quadrilhas invadem cidades do Interior durante a madrugada, atiram contra o destacamento policial e explodem a agência, causando pânico e terror na população do município. “O pior fica para depois quando pessoas idosas, muitos pequenos agricultores, têm de se deslocar para outros municípios quando precisam do banco que foi pelos ares, arriscando-se até mesmo a serem assaltadas no caminho”, avalia o diretor do Sindicato dos Bancários, Bosco Mota, informando ainda que o Sindicato vem cobrando das autoridades cearenses mais segurança para o Interior.


BB foi alvo preferido em 2013 – O Banco do Brasil continua sendo o alvo principal de assaltantes no Estado. Em 2013 foram 66 ataques ao BB. O segundo alvo preferido das quadrilhas é o Bradesco, com 48 ataques, seguido da Caixa Econômica com cinco, Itaú e Santander com três cada e outros/ou não divulgados, 12.


Mortes – Com a morte de um policial militar em um confronto com assaltantes que explodiram um posto avançado do Bradesco em Ararendá, durante a madrugada do dia 11/12, o Sindicato dos Bancários do Ceará já registra 11 mortes em 2013 por ocasião de ataques a bancos. Destes, cinco eram assaltantes, um refém, duas eram vítimas de saidinha, um vigilante e dois policiais.


Procon – Todas as agências bancárias fiscalizadas em Fortaleza, entre 2012 e 2013, foram autuadas por apresentarem alguma irregularidade. Nenhuma foi multada. No total, 100 instituições financeiras visitadas pelo Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) descumpriram normas previstas pelo Estatuto Municipal da Segurança Bancária, sancionado em 25 de junho de 2012 pela Prefeitura. A lei passou a vigorar em outubro do mesmo ano.


Coordenador-geral do Procon em Fortaleza, George Valentin, diz que as irregularidades mais recorrentes são a falta de porta giratória, do monitoramento eletrônico e da fachada blindada. Pelo estatuto (lei nº 9.910/2012), a primeira notificação fixa prazo de 10 dias para que o banco regularize a situação.


Na segunda autuação, a instituição deverá pagar multa no valor de 100 mil Unidades Fiscais do Município (UFM). Em caso de reincidência, após 30 dias, o valor cobrado será de 200 mil UFM. Se a agência permanecer em desacordo com a lei, o local será interditado. No entanto, mesmo depois de quase um ano e meio desde que o Estatuto passou a vigorar, nenhuma agência foi multada em Fortaleza. Segundo Valentin, muitas empresas recorreram da decisão.


Elaborado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará em parceria com a Câmara Municipal, a lei obriga as agências a cumprir uma série de medidas para garantir a segurança de clientes. Entre outras medidas, o Estatuto exige instalação de portas eletrônicas, sistema de monitoramento em tempo real e divisórias entre a fila de espera e os caixas.