Exposição mostra Tesouros e Simbolismo da Colômbia Pré-Hispânica

45

Está em cartaz, no Espaço Cultural Unifor, a exposição Tesouros e Simbolismos da Colômbia Pré-Hispânica, que presenteia seus visitantes com o detalhamento de raras peças em ouro produzidas até há 2500 anos. Composta de 213 objetos, a coleção possui pingentes, palitos, peitorais, máscaras, tudo em ouro ou em “tumbaga”, mistura de ouro e cobre. Há ainda vasos, estátuas e até instrumentos musicais feitos de barro. Em todos, surpreende o detalhamento com que foram produzidos.

ORIGENS – Foi por volta dos anos de 1930 que se fundou o Museu del Oro, de onde vieram as coleções para esta exposição. A datação das peças varia de 500 a.C. a 1500 d.C. Durante o período pré-Hispânico, nenhum povo produziu tanto em ouro como os que habitavam a Colômbia. Suas peças, no entanto, não tinham apenas a intenção de adorno ou de exaltação da riqueza daquelas terras, mas de representar o sagrado. Depois do ano 1000, os elementos se tornaram mais sensíveis e houve um aumento na produção a partir da tumbaga. Em 1500, com as invasões espanholas, as comunidades indígenas não tiveram mais contato com o ouro e deixaram de produzir.

ELEMENTOS EM PRATA – A presença Inca no sul da Colômbia também deixou seu legado. Para eles, a prata era mais importante do que o ouro e, por isso, apenas em Tumaco-Tolita, sítio arqueológico habitado pelos Incas, se pode presenciar peças em prata. Curiosos é que, após a invasão espanhola, quando os índios já não tiveram contato com os metais para a produção de seus artefatos, algumas comunidades produziam seus peitorais e adornos com o metal extraído de moedas colombianas, como nesta imagem, feita já por volta de 1980.

SERVIÇO:
EXPOSIÇÃO – “Tesouros e Simbolismos da Colômbia Pré-Hispânica”. No Espaço Cultural Unifor (Av. Washington Soares, 1321). Em cartaz de 8 de junho a 18 de setembro. Aberta ao público, de terça-feira a sexta-feira, das 8 horas às 22 horas; sábado e domingo, das 10 horas às 18 horas.