Falta transparência nos critérios para comissionamentos

18

A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) continua recebendo reclamações de colegas associados a Sindicatos de Bancários com atuação no Nordeste sobre a falta de transparência nos critérios para ocupação de funções comissionadas no Banco do Nordeste.


A denúncia mais recente partiu do Sindicato dos Bancários de Alagoas, segundo o qual a Superintendência Estadual do BNB tem privilegiado com comissões colegas que “caíram nas graças” da administração local, em detrimento de outros com mais experiência e até melhor qualificação. Para a CNFBNB/Contraf-CUT essa postura é inadmissível em uma sociedade de economia mista, como o BNB, que deveria nortear suas ações baseado nos preceitos legais da moralidade, de impessoalidade e da transparência no trato das questões públicas.


A situação denunciada pelo SEEB de Alagoas tem eco em outras bases sindicais como o Ceará, Pernambuco, Paraíba e Piauí, cujos sindicatos também apontam irregularidades no preenchimento das funções comissionadas. A CNFBNB/Contraf-CUT já cobrou reiteradas vezes providências da Direção do BNB, nas até o momento nenhuma atitude foi adotada para coibir tais abusos praticados por administradores. O entendimento da CNFBNB/Contraf-CUT é que ingerências políticas estão sobrepondo-se aos aspectos técnicos e de competência profissional e aberta; a continuar desse jeito, a única saída será denunciar a administração do Banco ao Ministério Publico Federal, ao Tribunal de Contas da União (TCU) e demais órgãos fiscalizadores das empresas estatais.