Família de bancário é sequestrada, mas polícia frustra assalto em Paraipaba

22


TABELA DE ATAQUES A BANCOS NO CEARÁ – POR TIPO DE AÇÃO

Atualizado em 31/10/2012, de acordo com informações da imprensa local



Cento e três ataques a bancos em apenas dez meses de 2012 contra 50 de todo o ano anterior. Esse foi o salto da insegurança bancária, que aumentou mais de 50% de um ano para outro. Na última grave ocorrência, no dia 29/10, a família e vizinhos de um gerente do Banco do Brasil de Paraipaba (93 km de Fortaleza), que residem em Fortaleza, foram sequestrados enquanto o bancário era obrigado a ir até a agência do BB tirar o dinheiro do cofre da unidade para dar como pagamento do resgate. Ataques foram registrados ainda em Orós e Ibaretama.


Sequestro – Ao todo, 14 pessoas foram colocadas em uma van, levadas a uma localidade entre Pacajus e Chorozinho e mantidas reféns por cinco bandidos armados de pistola. Após ser comunicado do sequestro, o bancário chegou à agência por volta de 8h30. Os seguranças notaram que ele estava muito nervoso e resolveram chamar a Polícia e não o deixaram sair.


O titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Romério Almeida, informou que o gerente da agência do BB não conseguiu sacar o dinheiro. O bancário contou aos policiais que teria de sair porque a família e vizinhos estavam como reféns. O gerente chegou a Paraipaba acompanhado de um dos bandidos, que ficou esperando na entrada da cidade.


Enquanto ele seguia em direção a Paraipaba, os reféns eram colocados na van e levados para um sítio localizado nas proximidades de uma indústria, entre Pacajus e Chorozinho. O titular da Divisão Anti-Sequestro (DAS), Rommel Kerth, deu o apoio necessário a Romério Almeida e, acompanhado de policiais militares, lotados no Comando Tático Motorizado (Cotam) e Ronda do Quarteirão, se dirigiu a Chorozinho, para pegar os reféns e levá-los para casa. As vítimas foram colocadas nas viaturas e transportadas de volta à capital cearense em um comboio formado por veículos ostensivos e descaracterizados.


Enquanto as vítimas eram trazidas para a Capital, agentes da Coordenadoria de Inteligência (Coin), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) permaneceram na região à procura dos quatro bandidos que estavam na van. Policiais civis e militares também fizeram buscas com o objetivo de localizar os acusados, mas até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.


Orós – Quatro homens assaltaram um posto bancário do Banco do Brasil que funciona dentro de uma casa veterinária, por volta das 10h de quarta-feira, 31/10, no município de Orós (352,1km de Fortaleza). De acordo com informações do destacamento da polícia militar do município, quatro homens chegaram armados no comércio, que fica no centro da cidade, e renderam clientes e funcionários. Os bandidos saíram atirando e fugiram em duas motos levando o dinheiro dos caixas e de clientes. Um guarda municipal foi feito refém, mas liberado em seguida. Ninguém ficou ferido.


Ibaretama – Seis bandidos explodiram um caixa eletrônico do posto avançado do Bradesco, na madrugada da quarta-feira, 31/10, em Ibaretama (134,1 km de Fortaleza). De acordo com informações do destacamento da Polícia Militar do município, no posto funciona um único caixa eletrônico. Quando policiais chegaram ao local, o bando já havia fugido em três motos.


Ainda segundo a polícia, os criminosos entraram quebrando a porta de vidro e arrombaram o caixa com explosivos. Apesar disso, nenhum dinheiro foi levado, segundo informou o gerente da agência.