Febraban paga congresso para cúpula da Justiça Trabalhista

21

Mais uma vez, a Justiça brasileira se coloca em uma situação de difícil justificativa ética. Nos quatro dias do feriado prolongado do 1º de maio, 44 juízes e ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) participaram de um congresso patrocinado pela Febraban, em um hotel luxuoso de Natal (RN). As despesas de toda a viagem foram pagas pelos banqueiros, incluindo alimentação e lazer para os juízes e, em alguns casos, suas esposas e maridos.


Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, no discurso de abertura, o ministro Milton de Moura França, vice-presidente do TST, falou sobre ética e moral. “Temos uma boa e uma má notícia para dar a vocês, disse ao microfone um dos juízes. A boa é que o almoço será servido em seguida. A ruim é que o sol foi embora e deu lugar à chuva, sem direito a aviso prévio. Mas, para a alegria de quem pretendia desfrutar da praia, o sol voltou a brilhar antes que os juízes terminassem o almoço”, narra o repórter Fábio Guibu.


Em entrevista sobre o assunto, o vice-presidente do TST afirmou que não via “nenhuma incompatibilidade” entre a atividade do juiz do trabalho e a participação dele em um evento pago por um de seus maiores interessados, os bancos.


Esse é o quarto encontro realizado nesse formato nos últimos quatro anos, sempre num resort de luxo e com o patrocínio da Febraban. Ano passado, as despesas foram de R$ 182 mil com transporte e hospedagem de 47 juízes.