Festival de ?nãos? marca as rodadas de negociações com o BNB

17

   

Repetindo a postura adotada por todos os bancos até aqui, o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) negou a maioria das reivindicações apresentadas pelo Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, nas negociações específicas nos dias 13 e 14/9, em Fortaleza. As duas rodadas do processo negocial com o Banco trataram das cláusulas relacionadas a benefícios, previdência, saúde do trabalhador, funcionais e sindicais.


“A negociação com o BNB foi mais um festival de ‘nãos’ para as demandas dos bancários”, afirma Miguel Pereira, secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT, que coordenou a negociação. “É fundamental ampliar a mobilização para pressionar o Banco e arrancar novas conquistas”, sustenta. O BNB negou praticamente todos os itens da minuta apresentada. O Banco justificou a série de negativas, dizendo que o gasto com a folha de pagamento de 2010 foi muito alto, o que inviabilizaria a concessão de novos benefícios. Os representantes dos bancários rejeitaram esse argumento e cobraram do Banco a apresentação desse crescimento das despesas com pessoal.


De acordo com os negociadores da empresa, até agora, o valor aprovado pelo DEST para o pagamento da PLR é de 9% do lucro líquido. “Com esse valor, o Banco faz parecer que não pretende pagar a PLR Social, que distribuiu 3% dos lucros linearmente no ano passado. Se essa é a posição do governo, trata-se de um grande retrocesso e vamos precisar de muita mobilização para reverter”, afirma Miguel.

SEGUNDA RODADA DE NEGOCIAÇÃO – No segundo dia de negociação foram discutidas as Cláusulas Funcionais e Sindicais da Pauta de Reivindicações Específicas 2011/2012. O Banco disse ‘não’ a praticamente todas as reivindicações dos trabalhadores. Sobre incorporação de Função, o Banco disse que só atende via demandas judiciais. O Comando Nacional anunciou que estuda possibilidade de ingressar com ação coletiva para assegurar essa incorporação.


Fica mantido o texto da cláusula do Acordo atual sobre início das férias e os negociadores do Banco disseram que não existe mais a exigência de utilizar o valor líquido do empréstimo de férias para liquidação ou amortização da composição de dívida com ele contratado. Sobre o ponto eletrônico, o Banco anunciou que já abriu licitação e tem prazo até outubro para instalar equipamentos de teste em todas as unidades. Quanto ao Plano de Funções, considera que, com a implantação do novo PFC em 2010, já cumpre esta reivindicação.


Sobre as Comissões, o BNB disse NÃO, pois considera que função é relação de confiança. A CNFBNB/Contraf-CUT alertou que essa posição pode levar o Banco aos tribunais por conta de novo passivo trabalhista; e sobre diárias de serviço, informou que vai manter como está.


Na cláusula sobre delegados sindicais, o Banco concorda que onde houver dois turnos bem definidos possa haver um delegado para cada turno, mesmo que a unidade não tenha mais de 50 funcionários. Quanto à liberação de dirigentes sindicais, vai manter o texto do Acordo atual. A CNFBNB pediu destaque para continuar a discussão. Será elevado de 5 para 10 dias úteis a quantidade de ausências abonadas para um funcionário por unidade para participar de eventos da categoria.


Sobre o Desconto Assistencial, o texto aprovado vai incluir como referencial de prazo para o desconto a data de assinatura do Termo de Ajuste Preliminar. O Banco assume que vai fazer esforço para este ano assinar o Acordo junto com a Fenaban. Sobre os Passivos Trabalhistas será mantida a redação do Acordo atual, discutindo apenas o “modus operandi”. Sobre as perdas passadas do funcionalismo, o Banco solicitou informações detalhadas.

A PRÓXIMA NEGOCIAÇÃO DAS MESAS TEMÁTICAS – Previdência (Capef), PCR e Camed, será no dia 21/9, quarta-feira, o dia todo, a partir das 9 horas, no BNB Passaré.