Filho de bancário é agredido por PMs

44

Baseado na denúncia de um motorista de ônibus que fazia a linha Parque Itamaraty, policiais militares da 2ª Cia do 5º BPM em Messejana detiveram por engano o filho do bancário e diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará, Eugênio Silva, que foi acusado de estar fazendo bagunça dentro do ônibus.

O adolescente junto com quatro colegas também menores, retornavam de um shopping a bordo de um coletivo da empresa Vega. Em dado momento, um grupo de rapazes que sentaram nas poltronas finais, passaram a comentar em voz alta sobre uma partida de futebol. O motorista caracterizando aquela conversa como algazarra parou o coletivo em frente à 2ª Cia do 5º BPM e acionou os policiais que entraram no carro e pediram que os rapazes que nada tinham a ver se retirassem.

O adolescente diz ter se recusado a descer do carro, já que era inocente, e por isso, foi arrastado pela gola e espancado com chutes, murros no rosto, nas costas e no peito e ainda vítima de racismo, sendo chamado de “neguinho”. Os garotos que o acompanhavam testemunham que passageiros chegaram a alertar os PMs sobre o engano, mas não foram ouvidos.

A família registrou o Boletim de Ocorrência contra os agressores e seguiram para o IML, onde foi comprovado o espancamento.O caso foi denunciado na corregedoria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e Ouvidoria da Policia Militar (PM), e está sendo acompanhado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) da Presidência da República, que passando adiante uma solicitação encaminhada pelo Sindicato, a Secretaria enviou um ofício à ouvidoria da PM-CE pedindo providências.